31.10.01

A quem possa interessar: não tenho nada pra contar.
E vou tentar desmontar a máquina do Rô pra ver onde está o defeito (parece ser algum tipo de mal contato).

A quem eu prometi alguns mails: me perdoa por não mandar hoje? Qualquer coisa, sabe como falar comigo...

Beijinhos...
A propósito, para as mais curiosas, o nome dele é Lula. hehe

Royalties para Miguel Young que fez o favor de alegrar os meus olhos na tarde de ontem, com essa versão tupiniquim do Keanu Reaves.
Estou gostando muito desses e-mails que ando recebendo. O melhor de tudo é não criar expectativa, apenas curtir. Ainda assim, posso quebrar a cara.
Barbie, fortíssimo esse. Eu usei algo parecido com o P*inho na semana passada. Parece que funcionou.

30.10.01

Texto para ex-namorado que não sai do seu pé, boicota os seus relacionamentos e ainda fica com outras meninas:
"Não me ligue mais. Nunca mais. Evite ao máximo pensar em mim. Não pense em mim quando estiver triste. Não pense em mim quando estiver carente. Não pense em mim quando ouvir "Dia Branco". Não pense em mim quando conquistar algo na vida. Não pense em mim quando estiver feliz. Não se masturbe pensando em mim. Não pense em mim se precisar de alguém. Doravante, eu não existo pra vc , ouviu? "
Vou procurar alguma revista. Talvez a "Caras".
Até amanhã, meninas.
Lembram do mocinho dos projetos gráficos? Pois é. Eu nem ia escrever sobre isso, achei que não tinha nada a ver, aquele lance de apagar as coisas que passaram e tal. Eu ando tentando fazer isso: eliminar as coisas antigas. Mas agora já bebi um pouquinho, não tem nada interessante na TV, estou sem um livro que preste aqui em casa (à exceção do "Dublinenses", que continua pelo meio) e eu estou entediada. Então vou contar. Hoje conversamos um pouco por telefone. Eu liguei pra falar com a minha editora, que estava lá fechando o tablóide e ele que atendeu. Tentei despistar ao reconhecer a voz, mas não era o caso de mentir, dizendo algum outro nome quando ele perguntou quem era. Ele queria saber se por algum motivo eu tinha ficado "brava" com ele e eu não soube explicar muito bem. Na verdade, não fiquei "brava". E nem teria motivos, já que praticamente não rolou nada além de uns beijinhos e alguns telefonemas posteriores, mas cansei, sabe? Cansei de me sentir usada, cansei de ser "só mais uma". Cara, é muito estranho falar sobre isso, mas minha vida tá bagunçada demais no lado profissional, o lado familiar é praticamente inexistente e o "relacional" ainda está tentando juntar os caquinhos. Não quero e não vou me envolver agora com ninguém que me faça sentir só isso. Só "mais um". E eu, "só mais uma". Eu curti bastante os últimos três meses, talvez o suficiente pra querer essa vida pra sempre, pra querer não ter esses vínculos sufocantes.
Eu já falei sobre isso há algum tempo, tem uma parte de mim que quer ter alguém que se preocupe, que cuide de mim e até que me controle, mas tem uma outra parte (que desconfio ser a mais forte) que rejeita tudo isso, que quer a liberdade a qualquer preço.
Por outro lado, acho que essa preservação da liberdade é meio que uma fuga para não encarar o fato de que o coração já não bate tanto, que as coisas não são mais tão intensas. É meio doentio isso, eu quero tudo na sua forma bruta, eu quero engolir o mundo, eu quero (se isso é necessário) viver por inteiro as coisas.
Sei que está meio desconexo esse texto, mas é um desabafo forte, uma coisa que estava aqui me inquietando e eu precisava falar, falar, falar. Sabe as migalhas? Cansei delas. Quero o pão inteiro. Quero viver os dois lados, quero amar muito e ser muito amada. Se não for assim, prefiro minha liberdade.
Em casa, com duas garrafas de vinho barato.
Variante do vírus Nimda se espalha pela Internet

Do Diário OnLine
As fabricantes de antivírus descobriram esta semana uma variante da praga Nimda, o Nimda.E ou Nimda.E-O. Ela vem se espalhando rapidamente pela internet via e-mail, arquivos compartilhados em rede e por servidores.
O vírus foi reformulado e traz correções em relação à sua versão original. Ele é capaz de alterar os nomes dos arquivos anexos em correio eletrônico e arquivos".DLL" gravados no micro, para dificultar a identificação por programas antivírus.

Foi isso, então.
Eu gosto de pessoas bem resolvidas. Isto é fato!
MULHER: Tudo bem?
HOMEM: Quase zen, e vc?
M: Eu apenas estou.
H: Eu, pra falar a verdade, não sei como estou. E desisti de tentar saber.
M: Eu preciso tomar a mesma decisão que vc e desistir, tb.
H: Facilita um bocado!
M: Abstração é a solução para a vida.
H: Masturbação é a solução para a vida.
M: Eu não sei qual o motivo de eu não ter comprado um vibrador ainda...
H: Às vezes, eu me pergunto o mesmo ! (risos)
M: Bom, na verdade eu não teria onde esconder. Minha mãe fuça em tudo.
H: *silêncio mental*
M: Eu gosto do silêncio qdo ele não pesa. Não que o seu esteja pesado... Eu tô muito chata hoje?
H: Nem um pouco. Fui eu quem pensei uma coisa a respeito do seu comentário do vibrador.
M: O que vc pensou?
H: Pô... que se sua mãe fuça em tudo o que é seu, quem sabe ela não se alegra quando vir seu namorado-à-pilha ?!
M: Tenha certeza de que ela não diria "ah, ela desencalhou!" qdo o visse...
H: P q não ?
M: O que vc imagina de uma mãe que fuça nos armários da filha??
H: Que ela teve muitas frustrações na adolescência. E que tb tem muuuuuuuuitas histórias pra esconder.
M: Minha mãe só beijou o meu pai na vida, meu. E quer me controlar. Quer que eu seja virgem. Quer que eu me comporte como se eu não tivesse hormônios! hahaha Bom, pra ela eu sou tudo isso mesmo.
H: Sei como é isso.
M: Se eu disser pra ela que eu já beijei mulheres, então... bem, melhor não pensar nisso.
H: Se eu disser pra minha mãe que sou bissexual, que já experimentei ser passivo (e achei um horror, mas até que a sensação da estimulação muscular é interessante), que já usei quase todos os tipos de drogas catalogadas... melhor ficar calado.
M: *silêncio mental*
Hoje você poderá obter um reconhecimento social de suas conquistas. Ou mesmo firmar um contrato de casamento ou de associação com alguém importante. Dica do dia: Não perca sua fé no trabalho e nem na sua capacidade de lidar com o dia-a-dia. Este é só o momento de reavaliação e mudanças necessárias.
hahahahhahahahahhahahahahhahahha... esse é o meu horóscopo. Alguém vai entender pq estou rindo.

E fui pro meu almoço.

29.10.01

Impressão minha ou só eu estou acordada por aqui? Ei. Oi. Mandem um sinal.
Mais uma noite insone e eu juro que cometo o tal mousecídio. E acabou a cerveja.
Já em casa, de banho tomado (gelado, já que meu chuveiro queimou e eu não sei trocar) e alimentada. Só falta o colo. Credo, tô parecendo um bichinho virtual.
O Nimda "foice" das máquinas aqui do jornal, mas deixou uma coisa engraçada como recordação: a cada vez que reinicio o micro (e são várias vezes ao dia), aparece uma foto do FHC com o Clinton, que saiu na capa da edição de sábado. Tentamos (eu e o Paulinho, técnico das máquinas. Uma gracinha, aliás) tirar do registro, mas não teve jeito. Bem, poderia ser pior. Poderia ser uma foto do Bush ou do Osama. Ou, mais grave: uma foto minha.
Preciso ir pra casa. 30 minutos a mais aqui. Fotolito enrolado (literalmente). Quero banho, comida, bebida e colo, não necessariamente nessa ordem.
Ah, eu tenho um aviso: A lista de presentes para o meu aniversário já está na H Stern.
Coisa que eu adoro é visitar blogs alheios, deixar recadinhos e vê-los respondidos, ou ver que a pessoa visitou o Texto Forte por conta deles. É no mínimo simpático, isso. E viva o contador.
A boa notícia é que amanhã vou almoçar "digrátis" com um amigo.
No jornal, ainda. Mandem um litro de vodka.
consumismo [De consumir + -ismo.] S. m. 1. Sistema que favorece o consumo exagerado. 2. P. ext. Tendência a comprar exageradamente.

Exemplo: Lady Macbeth vai ao centro da cidade pagar o aluguel, comprar ração para as cãs e um shampoo. Volta com ração, coleira nova para a Maria, ossos, roupinha para a Frances, DOIS condicionadores, um corretivo para a região dos olhos, um creme esfoliante, uma escova de dentes que toca musiquinha, três pães recheados, uma coca-cola de 2 litros e vários halls. E esqueceu de pagar o aluguel.
Três linhas. Humpf. Só volto a me comunicar com você depois que mandar um e-mail que preste. E tenho dito.
Humpf

(é com você mesmo)
Acordada pelo celular. Depto. de Cobrança do Unibanco. Esqueci de pagar o cartão de crédito, que acaba de ser bloqueado (mesmo eu garantindo que o cartão vai ser pago hoje). Cinco dias para desbloquearem depois do pagamento.
Péssima segunda-feira para vocês também.

28.10.01

Tanta gente sozinha no mundo...é assustador. Cada vez mais homens e mulheres queixam-se da solidão. Não estou sozinha nisso.
Eu odeio domingos.
Eu odeio esperar.
Eu odeio "pop-up".
Susie: Que merda. Odeio os covardes e é só isso que cai na minha rede.

Lady Macbeth: Na minha também. Somos fortes, Susie. Em consequência disso, atraimos sempre pessoas fracas, que querem se apoiar em nós como ervas daninhas, sabe?
Tem um lance em biologia, aquele negócio de hospedeiro, da cadeia. É mais ou menos essa a nossa relação com os caras.

Susie: Fortes uma porra. Mude aê para "aparência de" fortes. Pelo amor de Deus! Será que eles não enxergam que antes de tudo nós somos mulheres? Puta que o pariu! Eu preciso de um cara que me ame e que me entenda e não um monte de merda!

Lady Macbeth: A gente quer uma pessoa que possa ser forte e cuidar de nós, mas passamos outra imagem.

Susie: Pois é... temos é que parar de brincar de mímica!

Lady Macbeth: Temos é que entrar pro convento.

Susie (a ingênua): Não dá mais... *r

Lady Macbeth: Dá, sim. A gente pede perdão pelos pecados da carne. Ajoelha no milho, e tal. Mas já sabe, ajoelhou, tem que chupar.

---

É isso aí, minha gente. São coisas que a gente lê pelos icqs da vida.
É "stinking". Tenho certeza. Fétido, só pra confirmar. Se não for, me corrijam.
PQP! Detesto perder minhas coisas. Maldita desorganização. Eu usei essa porcaria no dia que a Clau veio aqui, pra fazer aqueles lances da tese dela. PQP! Onde enfiei?
Ai, cacete. Cadê meu dicionário?
ou stinking?
Dúvida do dia. É "sticky" ou "stincking"? Tenho minhas dúvidas...
Control Chups de hoje: Roy Orbison - I drove all night

I had to escape
The city was sticky and cruel
Maybe I should have called you first
But I was dying to get to you
I was dreaming while I drove
The long straight road ahead
Could taste your sweet kisses
Your arms open wide
This fever for you was just burning me up inside
I drove all night to get to you
Is that alright
I drove all night
Crept in your room
Woke you from your sleep
To make love to you
Is that alright
I drove all night
What in this world
Keep us from falling apart
No matter where I go I hear
The beating of our one heart
I think about you
When the night is cold and dark
No one can move me
The way that you do
Nothing erases the feeling between me and you
I drove all night to get to you
Is that alright
I drove all night
Crept in your room
Woke you from your sleep
To make love to you
Is that alright
I drove all night
Could taste your sweet kisses
Your arms open wide
This fever for you is just burning me up inside
I drove all night to get to you
Is that alright
I drove all night
Crept in your room
Woke you from your sleep
To make love to you
Padre Marcelo no Faustão. Vou ali vomitar e já volto.
Vou fingir que não tô nem aí.
Vale a pena ler de novo II
"Aqui na mesa este anjinho vale tanto quanto o peso de papel sem papel ou aquele cinzeiro sem cinza, quer dizer, não tem sentido nenhum. Quando olhamos para as coisas, quando tocamos nelas é que começam a viver como nós, muito mais importantes do que nós, porque continuam. (...) Os objetos só têm sentido quando têm sentido, fora disso... Eles precisam ser olhados, manuseados. Como nós. Se ninguém me ama, viro uma coisa ainda mais triste do que essas, porque ando, falo, indo e vindo como uma sombra, vazio, vazio. É o peso de papel sem papel, o cinzeiro sem cinza, o anjo sem anjo, fica aquela adaga ali fora do peito. Para que serve uma adaga fora do peito?"
Os objetos - Lygia Fagundes Telles
Vale a pena ler de novo
"É preciso variar as histórias, Luisiana, o divertido é improvisar que para isso temos imaginação! É triste quando um caso fica a vida inteira igual..."
Apenas um saxofone - Lygia Fagundes Telles

O melhor deles.
Sem ter a pretensão de se tornar uma resenha literária elitista, lá vai a minha opinião sobre Lygia Fagundes Telles (é, eu voltei a ler). Vale a pena conhecer ao menos os contos de Lygia. No meio de uma série de escritores "rasos" na nossa literatura, encontramos essa pérola de compreensão da natureza humana, que expõe de forma quase cruel todos os sentimentos em letras muito bem arranjadas. A fraqueza, o medo, o amor, a culpa, a solidão. Está tudo lá, muito bem mastigado e com aquele tipo de leitura que consegue se "infiltrar" na nossa cabeça, que nos faz viver o que é relatado junto com a autora. Eu recomendo. Pretendia colocar aos poucos alguns contos que me marcaram durante toda a adolescência e que ainda hoje estão bem gravados, mas não encontrei um só livro de contos dela na net e não tenho muito tempo para digitá-los. Então, vou colocar só uns trechinhos escolhidos. Quem sabe um dia eu digito tudo isso.
"Criada pelo alemão Henrique Kremer em 1853, ela (a Bohemia) tem uma receita genuína que faz sucesso até hoje. Quem toma uma não quer saber de outra cerveja. Tanto que, se as fotos do Império saíram um pouco desfocadas, não era só falta de técnica. Era muita Bohemia mesmo."
Caraca, esqueci de contar. Achei um copo da bohemia dentro da minha bolsa. Aos poucos a memória foi voltando. Lembrei que pedi o copo pro garçom, que falou baixinho, no meu ouvido "não sei pq você ainda não enfiou na bolsa". Obedeci.
E trouxe duas versões do velho Kremer impressas na bolacha da cerveja. Vou reproduzi-las.

"Ela aceitou sair com você? Ótimo. Primeiro, coloque algumas Bohemias para gelar. Depois, mostre toda a sua cultura. Diga que ela está bebendo a mesma cerveja que D. Pedro II bebia. Conte que a Bohemia foi criada em 1853 por um artesão alemão. Fale que, por conta disso, ela sempre foi feita com muito capricho. Aí, como quem não quer nada, lembre que a Bohemia foi inventada antes da luz elétrica. Afinal, você só a convidou para um jantar à luz de velas por causa disso, certo? Ok, não precisa responder."
Barbie, menina, o que não faz uma dose de vodka? É por isso que eu AMO vodka. (morrendo de inveja de você)

Eu tenho um texto forte (até que enfim!) para postar. A balada desse sábado foi "daquelas", bebi muito e falei muita bobagem, só pra variar. Começou tudo meio fraco, com um atraso do namorado da minha amiga (o que me emputeceu, já que ele ia me dar uma carona até o boteco; eu queria beber muito). No caminho, fomos discutindo no kombão (vocês já foram pra balada de kombi? é um vexame. Todo mundo olha quando você passa dentro daquela coisa ridícula). Não adianta, dois escorpianos (ainda que eu não seja lá muito adepta de astrologia, quando vejo as características do meu signo, percebo que sou exatamente aquilo: um serzinho arrogante) nunca entram em acordo. Todo santo dia a gente briga. Resolvi entrar no clima, "relaxar e gozar". Passamos em frente ao Affinit de kombão. Botei a cabeça pra fora e gritava: "Lotação pro Jaçatuba, um real". Minha amiga olhava horrorizada e o namorado dela ria, ria, ria. Bom, estacionamos o kombão e entramos. Pra variar, não tinha mesa lá dentro. Sentamos nas mesinhas de fora e começamos a beber. Três bohemias, logo de cara. Com direito a kit personalizado e tudo. Baldinho de gelo, as cervejas dentro, copo da bohemia, bolachas de chope, enfim, tudo. E bebe, e bebe, e bebe. Bati três vezes o copo no dente. Lá pelo meio da noite, começou a rolar meio que um "jogo da verdade" na mesa e o namorado da minha amiga vira, assim, na lata, e fala: "LMB, eu tenho que confessar que já tive um sonho erótico com você". PQP. Fiquei translúcida naquela mesa. Minha amiga me olhava, o namorado dela me olhava e eu morrendo de vergonha da situação. Resultado, passei boa parte da noite sem conseguir olhar pra nenhum dos dois, super sem graça. Depois que desencanei, comecei a provocar o cara (com o consentimento da minha amiga). Resultado, ficamos naquela "brincadeira gostosa" o resto da noite.
Nisso, chega o "Vamos respeitar". Ai, zizuis, eu comeria um caminhão de merda por aquele cara, confesso. Aí resolvi beber mais, pra desencanar de tudo (até do interurbano que fiz via celular, no auge do porre). E marguerita, e marguerita, e marguerita.
Chegaram mais uns amigos meus depois e o clima da mesa aliviou um pouco. Bebemos mais um tanto e fomos embora. Cheguei em casa desentendida, entrei, fui arrancando a roupa pela casa, cheguei na cozinha. Sentei pra tomar um copo de coca-cola e ao levantar, me desequilibrei (labirintite. Me ataca todo sábado...hohohoho) e fui em direção à geladeira. Quebrei dois imãs de geladeira nessa brincadeira e fui dormir p* da vida.
Acordei hoje com uma dor de cabeça absurda e sem a menor noção de onde estava. Fui andando pela casa e resgatando os pedaços da minha "vestimenta". Uma bota ficou na varanda, sabe-se-lá como. Achei um brinco dentro da geladeira. E encontrei os dois pés da tartaruga (o imã de geladeira) dentro de uma panela, na pia.
Até agora não tive coragem de olhar minha cara no espelho. Passo com a cabeça abaixada pelo banheiro.
Ai, que ressaca.

27.10.01

Meninas, realizei uma das minhas fantasias sexuais: Tchãnaaaammmmmmm.....
BEIJEI UM DJ!!!!!!!!!!
Tava naquela balada da boate gay. A noite estava fraquíssima até as duas da matina. Show de go-go boys, muita gente feia e música de "as dez melhores" de FM. Um saco. E eu ainda queria me manter sóbria porque estava dirigindo. Mas logo desisti da idéia de sobriedade ao perceber que meu amigo gay ( menininha mesmo) e a minha amiga estavam se beijando loucamente.
Não teve jeito, tive que apelar para uma vodka dupla. Depois, foram mais umas várias cervejas e uma caipirinha...e assim por diante.
Mas foi a vodka que me animou. Fiquei bem altinha e criei coragem de pedir ao DJ para mudar um pouco o som. Como eu não tinha jantado ( pra não ficar com barriguinha naquela calça justérrima), a "vodka" teve efeito instantâneo e me fez perder a noção do ridículo. Cheguei na cabine do DJ e soltei a pérola: "Hey, mr DJ, put the record on. I wanna dance with my baby!". Nem preciso dizer que eu tava me achando "A" Madonna, no clipe de MUSIC...Mas acabou funcionando, o DJ deu uma risadinha e disse que trocaria o som. Notei que ele era bem alto e que tinha um sorriso lindo. Voltei pra pista e fui dançar com o meu então "casal de amigos".
Quando eu vi ( ou melhor, quando eu ouvi) tinha começado a tocar MUSIC e o DJ tava vindo em minha direção, na pista de dança. Chegou bem pertinho e disse: "I wanna dance with my baby".Rimos e dançamos MUSIC inteira. Na seqüência, nos beijamos bem gostoso. Aliás, êita homem gostoso!
Foi ótimo. Pena que não rolou um sexo animal na cabine de som.
Mas é o que eu sempre digo, é melhor realizar a fantasia pela metade. Se a fantasia virar realidade, com o que vamos sonhar?
O que se pode esperar de um ser que sangra uma semana todos os meses e não morre de hemorragia?
Homens passam a vida inteira a procura de buracos. Vaginas, cus, bocas, bonecas infláveis. Vaginas de amantes, cus de prostitutas, bocas de travecosl. Cus de veadinhos, bocas de travecos, vaginas (e cus) de criancinhas. Cus de cachoros, vaginas de mortas, bocas de ETs.
Querem mandar a bola para o buraco do gol. A bola para a caçapa da mesa. A bola para o buraco do campo de golfe. A bola no buraco da cesta.
O que se pode esperar de seres cuja principal ocupação é procurar um buraco para se enfiar??
Dormi na casa dele. Não deveria ter dormido. Ele nem me abraça pra pegar no sono; vai logo virando de costas e se demonstra incomodado se eu tento abraçá-lo por detrás. Queria que ele me abraçasse, com aqueles braços longos que abrigariam o meu corpo no dele. Eu dormiria sorrindo.
Mas não. Não foi nada disso. Cheguei às sete horas da manhã na casa dele, pedindo aconchego e carinho. O máximo que ele conseguiu me dar foi um orgasmo pela metade e uma sensação quente de preenchimento.
Cada um dá o que pode.
Sessão "eu me amo" na esteticista. Não sei o que seria de mim sem a Silvia. Depilação, hidratação, limpeza de pele e tal.
O problema é que ela resolveu "arrumar" meus cabelos. Resultado: Tô me sentindo a ovelha Dolly petista.

26.10.01

Sem contar a campanha de Dallas, mas essa eu conto amanhã. Fui!
Só uma coisa que lembrei digna de ser mencionada.
Campanhas sociais criadas no jornal em um momento de ócio mais que completo:
Dê frio a quem tem fome
Adote um agasalho
Quem vê cara não vê bunda
É ridículo. Você escuta uma mensagem pré-fabricada, chora (por educação) e nem tem privacidade É verdade. Alguns idiotas ficam escutando sua "reação" ao receber a mensagem. O último que fez isso comigo se arrepende até hoje. Xinguei de corno a idiota - sem saber que o cara tava escutando tudo - e ainda fui irônica com a mulher que ligou pra colocar a gravação. Ah, pára. Eu vou vomitar.
Eu odeio telemensagens.
Sexta à noite. Eu e Pa, bêbadas e rindo de tudo. Até parecemos pessoas felizes. As extremidades adormeceram (não sinto meus dedos) e a noite está apenas começando. Onde é que isso vai parar?
Urucubaca. Terminamos o jornal. Tô indo pra casa. A única coisa boa do dia foi o telefonema do meio da tarde. Muito boa, aliás.

25.10.01

Sofro disso também, Susie.
Poderíamos montar algum tipo de instituto de recuperação.
Ah, que merda de dia. Foi um pesadelo. Vou deitar no sofá, abrir uma lata de alguma coisa gelada e escutar música que eu ganho mais. Até.
Do Aurélio:

psicopata
[De psic(o)- + -pata (q. v.).]
Adj. 2 g.
1. Que sofre de doença mental ou tem personalidade psicopática (q. v.).
S. 2 g.
2. Pessoa psicopata.


psicopático
[De psicopatia + -ico2.]
Adj. Psiq.
1. Relativo a psicopatia.


psicopatia
[De psic(o)- + -patia.]
S. f.
1. Psiq. Qualquer doença mental; psicose.
2. Psiq. Estado mental patológico caracterizado por desvios, sobretudo caracterológicos, que acarretam comportamentos anti-sociais.
3. Med. Psicose (1).
Eu me recuso a blogar aqui enquanto eu estiver me comportando como uma psicopata. Assim que eu voltar às CNTP (condições normais de temperatura e pressão) poderei escrever coisas como gente. Até.

24.10.01

Chega. Vou ler. Té.
Descobri que meu banheiro combina com o blog. Que lindo. A cor é a mesma.
Quando é que esse inferno astral vai passar?
Eu odeio ficar sozinha.
Eu adoro ficar sozinha.
Só um aviso: essa já é a terceira lata. Começo a pensar no motivo que me levou a colocar esse teclado americano aqui. Não acho os acentos e levo três minutos pra escrever uma linha.
Sabe, essas duas coisas que aconteceram hoje com duas amigas minhas me levam a duvidar do amor. Aliás, eu comentei isso? NNão, acho que não. Nem posso, são histórias alheias. Mas eu queria entender o que leva as pessoas a usar outras, o que leva as pessoas a magoar, a ferir tão fundo. A jogar outras na lama, a interferir, a decidir no lugar de outras o que é melhor e o quie é pior pra elas. Ah, já nem sei mais do que esatou falando e essa porra vai ficar sem correção, mesmo.
Eu sinto vontade de ajudar, de sofrer no lugar delas o que elas estão sentindo, ou então de matar os responsáveis. Bem devagar.
Nessas horas eu esqueço de ser imparcial, não suporto ver pessoas que eu AMO sofrendo. Porra!
Já em casa. Um texto meio meigo.
Tá rolando um lance meio complicado lá no jornal. O meu ex-patrão (sapo, gordo, careca e nojento) vendeu o jornal para um grupo de investidores que não manjam nada de imprensa, nada de nada. São ótimos empresários, mas péssimos jornalistas (todo mundo que trabalha em jornal tem que ter o "feeling", tem que ser jornalista. Do porteiro ao motoboy). Agora é que eles estão vendo comé que a coisa funciona, o que precisa ser feito e tal. Procês terem uma idéia, até julho, eu editava, diagramava, revisava e fotolitava sozinha. Eu e o Lu, na verdade, mas ele nem conta. Agora, temos duas editoras, vários repórteres, três motoristas e um monte de gente mandando em mim.
Quando eles começaram a fazer essas mudanças, eu adorei a idéia, já que a empresa (que estava quebrada) começou a crescer. Lançamos um novo produto (um jornal semanal com tiragem de 100 mil exemplares, que tem feito um sucesso estrondoso), compramos máquinas novas... uma orgia de despesas. Agora, a coisa meio que virou, o excelente ambiente de trabalho que tinhamos acabou e existem diversas panelinhas.
Bom, mas não era isso que eu ia falar. O lance é que meu ex-patrão ficou com 5% só da sociedade e foi posto de lado, sem direito a opinar, sem nenhum poder lá dentro. E ele, estando sozinho, resolveu dar valor aos antigos funcionários, à "gangue" dele. Está todo "amiguinho", companheiro... Ele apareceu lá no jornal hoje, com a filhinha, que é uma coisa fofa (se bem que às vezes eu queira fritá-la em óleo quente). A menina me "adotou". Já dei altos foras por conta dela. Falei que a menina parecia um pokémon (um cor de rosa que vi na TV, com a carinha redonda) na frente da mãe dela e tal. Pois bem, quando ela chegou, fiz a maior festa pra ela. Todo mundo estranhou, já que eu nunca fui chegada em crianças. Uns minutinhos depois, a menina vem e me entrega uma foto dela quando bebê: meu ex-patrão fez uns retratinhos meigos da menina para distribuir entre os amigos. A menina resolveu que EU merecia um dos retratos. Autografado. Não me perguntem o que estava escrito atrás, ainda não consegui identificar. Mas fiquei emocionada e chorei, chorei, chorei, abraçando aquela coisinha gorducha e feinha, com carinha de sapo.
Depois dessa coisa meiga, só me resta abrir mais uma lata de skol.
Exagerei?
Essas são velhinhas, mas engraçadas. Lá vai.
A Revanche da mulherada:
POR QUE O PÊNIS TEM UM BURACO NA PONTA?
Para oxigenar o cérebro.
O QUE TÊM EM COMUM O CLITÓRIS, OS ANIVERSÁRIOS E O VASO SANITÁRIO?
Coisas que um homem nunca acerta!!!.
QUAL A DIFERENÇA ENTRE HOMENS E PORCOS?
Porcos não viram homens quando bebem.
O QUE AS MULHERES MAIS ODEIAM OUVIR QUANDO ESTÃO TENDO SEXO DE BOA QUALIDADE?
Querida, cheguei!
Obs: E pelada, pra escandalizar a vizinha fofoqueira.
Ai, meninas, que canseira. Hoje o dia foi pesado. O Nimda atacou as máquinas aqui do jornal (não se preocupem, estou blogando de uma máquina fora da rede) e eu passei o dia quebrando a cabeça para limpar essas máquinas. Limpava uma, reinstalava o Office (é, eu não sei pq cargas d'água, o bicho atacou o Office com unhas e dentes. Em conseqüência disso, o Word travava e as repórteres não podiam redigir nadinha) e quando reiniciava, o bichão continuava lá, lindo, leve e solto. Ah, que dia. Sorte que ainda tem uma caixinha de skol lá em casa. Amanhã não terá mais. Vou acordar abraçada com as cachorras, no meio do quintal.
Meninas, a balada de hoje promete. Vou sair pra dançar. Acho que vou a uma boate gay. Vcs sugerem algum ambiente mais fervido?
SUSIE, O LAYOUT ESTÁ FORTÍSSIMO! O MAIS LINDO KLIMT NO MAIS LINDO BLOG! PARABÉNS!!!
Lu Patinadora, seja bem-vinda! Legal ter mais uma mulher forte pra compartilhar textos fortes conosco.
Susie: me empresta sua mãe por uns tempos? Tô precisando redecorar a casa.
I wish you were here
No final do mês o blog não vai parecer tão divertido. Principalmente quando chegar a conta do telefone.
De toda forma, já estou atrasada, mesmo.
Ai, Susie. Parece que estamos em sincronia, hoje. Me sentindo um lixo. Insegura e com vontade de não levantar da cama (se ao menos fosse por um bom motivo...).
Acho que vou dar um "cabong" no jornal hoje. Passar a tarde no shopping, comprando uns perfuminhos novos. Ô vício.
Hmmm... muito bem! Layout novo, que felicidade. É meu primeiro post com ele, então não vou vacilar.

Por uma vida menos ordinária, aqui está uma lista de coisas para fazer quando vc não estiver se sentindo bem:

- Tomar um MIDOL, para TPM, que tem antidepressivo, e mais alguns analgésicos para eventuais dores no corpo;
- Tomar um banho bem demorado, usar uma bucha vegetal para fazer esfoliação em todo o corpo;
- Passar um creme cheirozinho e pouco oleoso nos braços, nas mãos, no seio e no colo;
- Passar um gel termoredutor nas pernas, na barriga e na cintura, para sentir a pele ferver e perceber de fato que vc está perdendo medidas!

Por que a felicidade feminina está tão ligada à imagem? 99,9% dos homens sequer sabe a diferença entre a celulite e a estria. Por que temos que nos sentir 'ameaçadas' por fotos e vídeos de Feiticeiras, Tiazinhas, Scheilas e afins (os monstros do corpo e a mediocridade dos QIs)? GRR... isso é o fim.

Quem aqui quer namorar (ou qualquer coisa que o valha) um cirurgião plástico? Eu não quero - fosse o contrário, e eu morreria de depressão.

***

Desculpa, mas nem com o layout novo eu consigo esconder a minha indignação.

23.10.01

Obs: O "decreto" anterior não é válido para cargos de confiança. Eu posso "blogar" à vontade.
Sigilo na Web
Empresa não pode violar mensagens de empregados

A empresa não tem o direito de violar as correspondências eletrônicas dos funcionários. O entendimento é da 13ª Vara de Brasília, ao julgar ação trabalhista contra o HSBC Seguros. Segundo a seguradora, o empregado utilizou indevidamente o correio eletrônico e distribuiu fotos pornográficas pela Internet. Por isso, foi demitido por justa causa e não teria direito ao aviso prévio.
A Justiça não acatou a argumentação e mandou o HSBC pagar direitos trabalhistas e fazer a "Comunicação de Dispensa" do empregado. A 13ª Vara entendeu que a correspondência do empregado foi violada. "Assim, reitera-se a prova pretendida pelo Reclamado, em relação à justa causa alegada, não pode ser em juízo admitida por ser prova obtida por meio ilícito", afirma a decisão. (...)

Na boa, com tanto hotmail, yahoo e similares no mercado, pra que é que o mané vai usar o e-mail da empresa? Vá pra porra, tem que ser demitido por justa causa, mesmo. Se não por ficar "brincando em serviço", pela burrice de ser descoberto. Burro, burro, burro.
A Justiça abre um precedente para que máquinas de serviço sejam usadas de forma irresponsável. Hoje, são só e-mails. Amanhã pode ser pior. E barro mesmo qualquer idiota que resolve usar as máquinas da redação para fins pessoais.
Ass: Sargento Macbeth
Música que eu "recebi" dia desses qualquer e tenho ouvido diariamente.

Lit - Miserable
You make me come
You make me complete
You make me completely miserable
Stuck to a chair
Watchin' this story about me
Everything goes by so fast
Making my head spin
Used up all of my friends
Who needs them when you mean everything
I love the things that we should fear
I'm not afraid of being here
So much the same
It makes me helpless alone
Nothing to share
Why should I care if you're near me
Give up all of my plans
But who needs them?
When you mean everything
Coisas que eu não entendo
Por que é que eu fico tão angustiada, às vezes?
Coisas que eu odeio
Insônia
Coisas que eu adoro
CD-R's que funcionam
Saudades do Rio de Janeiro. Da Marina da Glória. Da Lagoa. De tomar caldinho de feijão na Tijuca. Dos churrascos na Frei Pinto. Da caipirinha do Sérrrrrrgio no N&D. Do vôlei em Copa. Dos amigos. Até da Linha Vermelha eu tenho saudade. Muita saudade de Niterói, da feira hippie, da pizza com catchup, do Aterro, do restaurante no Alto da Boa Vista.
Eu era feliz e não sabia.
Um blergh bem grande para as famílias. Qualquer tipo de vínculo obrigatório me estressa.
Minha mãe me telefonando às quase duas da matina. Boa coisa não podia ser. E não era. Ela queria saber se "poracasovocêtemfaladocomseupai?". Me diz, dona Cê, pra que é que eu ia falar com ele? Deus, eu tenho mais contato com o dono do boteco (Grande Moisés...) do que com o outro lá. Porra, o pior é o "por acaso". Chega de dar voltas! Eu ODEIO enrolação. Falou, falou, e não disse o que queria. Ah, que droga. Já dizia o meu pai (é, ele) "mãe só tem uma, graças a Deus, porque se fossem duas, a gente não aguentava". Sossego, quero sossego!
mmm. Será que eu terei que vetar o post sobre o aniversário do Caco? Esqueci da censura. Cê entende? Diz que entende, vai... Eu sou mulher, a carne é fraca, você sabe...
Eu ia falar sobre um tema meio pesado, mas deixa pra outro dia. A nova cara do blog me deixou meio constrangida de inaugurá-lo reclamando. Gostaram? Eu adorei.
Hoje foi aniversário do Caco (namorado da Pa - por minha culpa - que trabalha no jornal). Fizemos uma baguncinha pra ele durante a tarde e o cara ficou super emocionado, quase chrou e tal. O pior de tudo é que eu também fiquei emocionada com a coisa (que merda. Ando chorando em comercial de margarina) e acabei quase chorando também. Mas foi engraçado o susto que ele levou e tudo mais. Há exatos 20 minutos a Pa me ligou pra contar que eles foram à noite na casa dele, e que rolou uma festa lá também. Ou seja: reunião de todos os "vamos respeitar" do Jorda, incluindo o irmão do Caco (que segundo a Pa, dá pra uma segunda-feira chuvosa) e o (ui) Claudinho. E eu perdi porque estava trancafiada no jornal. Na senzala, melhor dizendo. Mas tudo bem, parece que fomos convocadas pra uma balada no sábado. O início das comemorações do meu aniversário. Não que eu tenha muito pra comemorar (um ano mais velha e muitos reais mais pobre), mas ao menos vou beber muito absinto e muita vodka, não necessariamente nessa mesma ordem. Pelo que pude entender, comemoraremos por 4 semanas, dessa vez. Eles querem superar a marca do ano passado (3 semanas direto, saindo todos os dias).
Ri demais com o papo da Pa. Ela é meio assim que nem eu, Rê Bordosa, e vive dizendo que inveja meus pulmões (quando eu tenho aqueles acessos de tosse que quase comprovam um enfisêma). Hoje confessou que inveja também as minhas olheiras (quando acordo no domingo) e meu fígado (nas baladas). Ela pediu que eu deixasse um testamento, doando meus órgãos para ela. Ao menos alguém gosta de alguma coisa em mim (melodramático? não? Ah, que se dane).
Que papinho furado, esse. Tô agitada demais pra ponderar antes de escrever, e vai assim mesmo.
Preciso de álcool. Pode ser zulu.
Bom, minha atuação, por ora, acaba por aqui. Até a próxima atualização geral, meninas.
Vou pra casa. Por algum milagre, isso aqui acabou cedo. Entro de lá, pra ver se tem mais alguma surpresa no blog.
Lu, amei, amei! Entrei no nosso humilde bloguinho para ver se alguma de vocês tinha se manifestado e tomei um sustão com a nova cara da nossa casinha de bonecas.
Isso foi um presentão de aniversário adiantado, já que o Texto Forte tem sido TUDO pra mim também.
Beijos, meninas!
Sim, nós temos um novo layout. Porque merecemos.

Quem sou eu? Isso vocês não precisam saber. Não venho com muita freqüência.
Beijins...
Gente, vamos animar esse blog! Parece que morremos no último bombardeio! Barbie e Susie, eu intimo vocês duas a postarem um texto bem forte até sexta-feira. Arrumem uma festa, uma viagem, alguma coisa. Se tudo der certo, meu texto forte vai ser no próximo sábado, quando vou levantar da tumba e agitar um pouco. Espero dedicação de vocês, vamos lá. Ânimo, bonecas!
Fortíssima, essa. Control Chups, também. Preguiçona.

You oughta know - Alanis

I want you to know that I'm happy for you
I wish nothing but the best for you both
An older version of me
Is she perverted like me
Would she go down on your in a theatre
Does she speak eloquently
And would she have your baby
I'm sure she'd make a really excellent mother

'Cause the love that you gave that we made
wasn't able to make it enough for you to be open wide, no
And every time you speak her name
Does she know how you told me you'd hold me
Until you died, 'til you died
But you're still alive

And I'm here to remind you
Of the mess you left when you went away
It's not fair to deny me
Of the cross I bear that you gave to me
You, you, you oughta know

You seem very well, things look peaceful
I'm not quite as well, I thought you should know
Did you forget about me Mr. Duplicity
I hate to but you in the middle of dinner
It was a slap in the face how quickly I was replaced
Are you thinking of me when you fuck her

'Cause the love that you gave that we made
wasn't able to make it enough for you to be open wide, no
And every time you speak her name
Does she know how you told me you'd hold me
Until you died, 'til you died
But you're sill alive

'Cause the joke that you laid in the bed that was me
And I'm not gonna fade
As soon as you close your eyes and you know it
And every time I scratch my nails down someone else's back
I hope you feel it...well can you feel it

22.10.01

Último clique no "inbox". Se não chegou até agora, vai ter que esperar até amanhã. Humpf.

Vou ler algo. Se tiver paciência, volto.
Vamos aliviar um pouco: comecei a reciclagem pelos cabelos. Alguém conhece o tom "Púrpura Morado"? Pois é. Sou uma semi-ruiva, agora.
O real: Está me incomodando perceber que não tenho absolutamente nada em comum com as pessoas que estou convivendo. Eu me acho superior (e isso é horrível) a todos e olho com aquele desdém para qualquer um que ouse me desafiar, discordar de mim, algo assim. Estou virando uma tirana nojenta por conta disso. E o pior é que muita gente ACREDITA nessa farsa de que eu sou melhor que eles. Em que sentido? O que é que eu faço de tão especial assim? E até que ponto não é escolha minha conviver com pessoas teoricamente inferiores, justamente pra me destacar? Não gosto disso, não gosto.
Acho que é hora de reciclar. Ficou muito cômodo saber que tudo que eu falar vai ser aceito, vai ser respeitado. Eu preciso de desafios, preciso de pessoas que me estimulem, de sangue novo, na verdade.
Essa reciclagem pode custar caro. Talvez eu esteja mais na net nos próximos dias, porque aqui eu posso ser mais "fraca", posso ter menos certezas. Não preciso mascarar meus medos, minha ansiedade e minha maldita insegurança.
É, acho que é isso que vai acontecer, vou voltar pra concha de novo.
Primeiro: Está me incomodando clicar de cinco em cinco minutos no "inbox".
Em casa, agora. Acho que vou falar sobre o que está me incomodando. No próximo post.
Andei meu suspirativa e meditabunda, hoje. O Caco até estranhou uns comentários meus sobre amizade, e tal, mas é que eu ando pensando em mais um afastamento-relâmpago. Isso é um Texto Forte meio extenso e que quero desenvolver com calma mais tarde, de casa. Agora entrei só pra dar um oi, dizer que sobrevivi ao dia de hoje (mas ele ainda não acabou. Tô no meio da capa e devo terminar lá pela meia-noite) e que estou precisando de uma noitada num bar. Com uma certa urgência.
Mais tarde volto. Beijos, meninas.

21.10.01

Me leva junto? Eu trabalho de mucama. Mucama Susie. *r
Vestibular UFF/2002

A Universidade Federal Fluminense (UFF), por meio da COSEAC, realizará o Concurso Vestibular UFF 2002 para preenchimento de 4277 vagas em seus cursos de graduação no ano letivo de 2002.
O Edital do Concurso e o Quadro de Vagas já estão disponíveis em nosso site. O período de inscrições será de 15 de agosto a 5 de setembro de 2001. O valor da taxa de inscrição é R$70,00 (setenta reais).
COMO SERÁ O CONCURSO
O Concurso Vestibular de 2002 da Universidade Fluminense Fluminense será realizado em duas etapas.
1ª ETAPA
A prova da 1a Etapa será eliminatória e realizada em um único dia - 9 de dezembro de 2001. Nessa prova serão propostas setenta e duas questões de múltipla escolha que abrangerão conhecimentos de Língua Portuguesa e Literatura Brasileira, Biologia, Física, Geografia, História, Matemática e Química.
ARRRGHHH...Tudo num mesmo dia!

São só 15 candidatos por vaga, em média. Acho que daria conta.
Putz, vou ter que fazer vestibular de novo...que saco!!!
Acabei de descobrir o que quero fazer na minha vida: Produção Cultural!
Existe um curso de Produção Cultural na Universidade Federal Fluminense! Susie, vou "ter"que ir morar no Rio!
Produçao Cultual???Hummm...Interessante...
hahahahaha...Lady, que trapalhada, menina!
O pedreiro era gatinho pelo menos?
Menina, estou sabendo, por intermédio de Susie, de textos fortes da sua vida! É isso aí, honre esse blog, amiga! Aliás, texto fortíssimo "Head Over Feet".
Gentem, vou ser sincera com vcs, não tenho nenhum texto forte pra lhes contar sobre o meu finde. Passei dois dias de pura vagabundagem e ócio. A minha grande ousadia foi ter bebido sozinha meio litro de um bordeaux nacional chamado "Bordeaux de la Siera", daqueles que transformam o seu cérebro numa grande enxaqueca.
A solidão me fez companhia em quase todos os momentos e me despertou para uma nova perspectiva na minha vida. Estou cheia de planos e vou começar, juntamente com Susie, a colocá-los em prática amanhã mesmo.
Na verdade, queria mesmo era estar numa lagoa dos lençois maranhenses...Vi um programa ( acho que da TV Cultura) muito legal sobre as trilhas e passeios de lá. Fiquei salivando em frente à tv. Acho que preciso viajar pra dar uma renovada!
Coisas que eu quero:
Uma casa no campo, onde eu possa plantar meus amigos, meus discos e livros.
Mais uma: o pessoal da pizzaria perguntou quando é que eu vou fazer outra "festa daquelas". Referiam-se a um churrasco, na inauguração da casa, em que dançamos (eu e mais uns 10, acho) a "dança das cadeiras" na garagem. É, aquele negócio de parar a música e o que não conseguir sentar, ser eliminado. Imaginem quantas cachaças já não tinham sido ingeridas pra gente pagar esse mico. E eu nem sabia que tinha platéia...
Outra da vizinhança: Descobri que aquele "busto" na casa em frente à minha não é exatamente um "busto". É o velho que mora na casa. Passa o dia inteiro com a cara (só a cara) enfiada no meio da grade, sem se mover. Eu jurava ser uma estátua.
Incentivada por Susie, vou contar do "gorila" que eu paguei na quinta-feira (ou terá sido na quarta?).
Sei lá, foi no dia que instalaram o telefone aqui em casa. Eu fui até a casa da minha mãe buscar essa máquina nojenta (o lentium) e a mesa. Enfiei tudo dentro do carro e voltei pra cá. Só que lá, eu contava com a ajuda da minha mãe pra transportar o trambolho. A mesa pesada, e tal. Para descarregar aqui em casa, só contava com minha boa vontade. Bem... tô aqui, com o carro na garagem, pensando em como vou levar a mesa pra dentro de casa. Ando de um lado pra outro e nenhuma idéia me ocorre (que falta faz o Pikachú nessa hora - só nessa). Aí o pedreiro que está trabalhando na casa do vizinho (aquele vizinho) se oferece pra me ajudar (ele tinha vindo conversar comigo outro dia, perguntando se eu me importaria de colocarem uma caçamba daquelas de entulho na frente da minha casa... estavamos quase íntimos). Aceitei a ajuda e o cara pegou a mesa de um lado e eu do outro. Até aí, tudo bem. Colocamos a mesa na sala, eu garanti pra ele que depois conseguiria arrastá-la para o quarto e ele foi saindo. Eu fui atrás. O desastre aconteceu quando eu escorreguei naquela droga de tapete da varanda e fui com os dois pés em direção ao traseiro do homem, que caiu no meu colo. Tudo bem que isso não era nada se o "coisa boa" do meu vizinho não tivesse chegado exatamente naquela hora e visto a cena patética: eu, deitada no chão, e o pedreiro no meu colo. Ele olhou, olhou... balançou a cabeça... olhou de novo. E eu lá, prostrada no chão. O menino olha pra mim, rindo, e fala: "precisa de ajuda?". E o pedreiro: "não, quem precisa sou eu. Fui me meter a ajudar e olha só, estou sendo atacado". Deus, que vergonha. Meses procurando uma oportunidade de "socializar" com o vizinho e justo quando eu menos quero, ele aparece. Resultado: a vizinhança inteira agora pensa que eu assediei o pobre pedreiro.
Isso até seria pouco se eu já não tivesse um histórico meio comprometedor com essa vizinhança. Quando mudamos para cá (eu e o Rô), ele espalhou para todo mundo que nós eramos casados (os curiosos vinham dar as boas vindas e perguntar quem é que estava morando na casa e o Rô respondia: "eu e minha esposa"). Nessas, um dia o Rô trouxe uma namoradinha aqui e os dois ficaram aos beijos no quintal (que dá para a sacada da vizinha da direita). Ou seja, eu posava de corna. Agora que ele não mora mais aqui, devo estar como "mulher abandonada, doida pra dar".
Que se dane. Eu quero é mais que falem, mesmo.
Tentando me equilibrar sobre os ovos em que estou pisando. Tá difícil separar o que é real do que não é.
Eu tava com preguiça de escrever essa letra, então fiz um "Control Chups" básico. Ou, como diria minha editora, fiz um "Gillete Press". Perdoem eventuais erros, mas eu precisava colocar essa letra aqui.

Head over feet - Alanis

I had no choice but to hear you
You stated your case time and again
I thought about it

You treat me like I'm a princess
I'm not used to liking that
You ask how my day was


You've already won me over in spite of me
Don't be alarmed if I fall head over feet
Don't be surprised if I love you for all that you are
I couldn't help it
It's all your fault

Your love is thick and it swallowed me whole
You're so much braver than I gave you credit for
That's not lip service

You've already won me over in spite of me
Don't be alarmed if I fall head over feet
Don't be surprised if I love you for all that you are
I couldn't help it
It's all your fault

You are the bearer of unconditional things
You held your breath and the door for me
Thank you for your patience

You're the best listener that I've ever met
You're my best friend
Best friend with benefits
What took me so long

I've never felt this healthy before
I've never wanted something rational
I am aware now
I am aware now

You've already won me over in spite of me
Don't be alarmed if I fall head over feet
Don't be surprised if I love you for all that you are
I couldn't help it
It's all your fault
Barbie: se está pensando em técnicas sádicas, sugiro o fogo. Comece pelas extremidades.

20.10.01

Lady, será que arsênico judia muito antes da morte?
Tá passando Emanuelle na TV. "Crássico jurássico".
Tem um casal em estado de "pré-cópula" no meu sofá. Pensando em cobrar o pernoite.
Vamos, vamos reagir, Barbie. Arsênico pode ser a solução.
Ô noitezinha de merda, essa. Sábado à noite e eu enfiada em casa, "travada". E no bom sentido, o que é pior. Não consigo mover meu braço esquerdo, dá procês?
Bom, existem muitas coisas que podem ser feitas com o braço direito...hehehehe
Meninas, tenho tantas coisas pra fazer e tão pouca vontade e ânimo p/ fazê-las...
Aliás, esse Texto Forte está virando um mural de lamentações, pelo que estou entendendo.
Vamos reagir, meninas!
Susie, será que esse seu sapo tem um amiguinho pra me apresentar?
Bom dia, sol! Bom dia, dia! Eu estou com olheiras e com uma barriga de matar qualquer Genival Lacerda (ou Tim Maia) de inveja. Básico! Estou me sentindo muito sensual e feminina: vou colocar um vestido vermelho, justo e parecer um bolo fofo, com cobertura de morango; vou usar uma sandália dourada que vai me deixar parecendo um carro alegórico; e não vou encontrar o príncipe encantado, vou encontrar o sapo logo de uma vez pra deixar a minha vida mais completa. Se der, antes de sair, me jogo da janela, pois adoro liberdade. Mas antes passo aqui - e tb ligo pra Barbie - pra dizer TCHAU! *rrr
Vida de mulher na TPM é o FIM. vamos falar sério!

19.10.01

Lá vai:
I miss you
Putz, nenhum blog depois do meu de ontem? Que fracasso...

18.10.01

Estou ficando neurótica. Esse lance de estar com net em casa ainda é meio estranho para mim (fiquei três meses sem). Comé que eu achava tanta graça antes? Agora dá um téééédio. Nenhum ser pensante online. Acho que vou me recolher antes de ficar bêbada (já foram duas latinhas) e protagonizar o maior vexame dos blogs dos últimos tempos. Sou capaz de surtar, aqui, sozinha. Droga. Mil vezes droga.
Vou ler alguma coisa. Té amanhã, parede.
Conexão a lenha. Depois de voltar pra casa e preparar um kinojo, me ligaram do jornal e eu tive que voltar pra lá (uma das páginas deu pau). Tem um texto forte a respeito dessa minha ida, mas não sei se tô com paciência pra postar agora. Tô meio ansiosa. Acho que uma vodka com limão cairia bem. Merda, acabou a vodka. Cerveja, então. Vou lá e já volto.
Pelamordedeus, Susie, me explica o que é que ocê pensou...hahahah
*ligando as infos*
Culpado = blog + e-mails + telefonema + milho-verde.

Vish, que Alá não leia este blog! Pelo menos EU já pensei uma besteira bem grande... hahahahaha
Coisas patéticas:
O Daniel (não é quem vcs estão pensando. Só pra esclarecer: é o Daniel daquela ex-dupla sertaneja "João Paulo e Daniel") fazendo aquela dança country ridícula, jogando as pernas de lado! É o fim...
O outro Texto Forte que tenho é meio impublicável... vale dizer que o culpado é o blog (e os milhos-verdes). Ai, que delíciaaaaaaa. Eu amo milho verde.
Ei, Barb, isso é muito gostoso. Aproveita, menina. E depois conta tudo pra gente, claro.

Tô meio negligente com o blog, mas é que outras coisas estão tomando minha atenção de forma incontrolável. E isso é bom (meio surpresa). Final de semana eu volto com a corda toda, acho. Mas tudo bem, vou contar o meu último texto forte. O telefone toca, lá pelas onze da noite, eu correndo com o fechamento do jornal. Vou atender: "Ei, LMB, comé que cê tá?" Era só o que eu precisava. Os mortos também falam. Era o ex-ex-ex-ex, pentelhando, perturbando, azucrinando. Acabei dando trela, só pra ver onde é que ele queria chegar. Conversamos por uns dez minutos e eu comecei a cortar "Tá bom, então, P*inho, tenho que concluir esse jornal". "Nossa, LMB, é assim que você me trata? Depois de tudo que passamos?". Diabos. O que tanto passamos além de algumas noites de conúbio carnal intenso? Nem foi tudo isso (erguendo os ombros, tipo a raposa e as uvas). Respirei fundo e continuei conversando. "Tá, P*inho, desembucha, o que é que você quer?". "Não, é que, conforme eu te falei, vou estar aí em SP fazendo um curso na época do seu aniversário... queria saber se vai rolar algum tipo de comemoração...". "P*inho, você é um lixo. Na verdade, vamos comemorar, sim. Só que a comemoração vai ser a dois, não dá pra você participar...". (eu não comentei que a comemoração ia ser entre eu e o Johnny. O Walker, claro. "Ah, entendo. Desculpe, LMB. É que por um momento, pensei que tivesse sido importante para você". "E foi, P*inho. Comé que eu ia ter tanta certeza de que os homens são piores do que ratos se eu não tivesse te conhecido?". Tudo isso foi dito meio que em tom de brincadeira, mas o melhor foi ver a reação assustada dele. Mas ele merece, aquele cachorro, cretino, fdp, que me fez chorar por noites e noites, que me fez beber até uísque nacional, que me fez beijar as criaturas mais nojentas, tentando esquecê-lo. Ah, ele me paga. (e vai pagar caro se continuar insistindo nesse tipo de papinho "amigos para siempre", querendo me comer espoRRadicamente).
Isso é um apelo: Não me ligue mais, entendeu (ou quer que eu soletre)?
Meninas, estou me programando para um super feriadão em novembro! Vou reencontrar vários amigos de adolescência que não vejo há muito tempo. Abri minha caixa de e-mail e havia 21 mensagens de amigos do Brasil inteiro. Estamos trocando idéias sobre o local e todas as outras condições do encontro. Tô bem feliz!!!

17.10.01

Susie, eu conto só procê, via icq. Tenho boas e más notícias. Tô "motorizada", agora. See ya.

16.10.01

Ó as doidas!


Só pra constar: eu quero saber!!!!!
Sessão "blogada" de hoje vai ser curtinha. Tô feliz demais. Quem quiser saber por que, que me pergunte.
Bêbados se expressam com mais clareza, Barbie. Fique tranquila.
Fui!

15.10.01

Não aguento mais fritar em casa e fumar maconha. As pessoas combinam de sair, ir ao cinema, fazer coisas e o máximo que conseguem fazer é trocar o canal da TV.
Claro que eu queria estar na balada, minha faculdade está em greve e eu não preciso acordar cedo. Nem pra fazer ginástica. Aliás, essa tal de ginástica está me atormentando. Tenho que voltar a malhar urgentemente...Todo ano tenho essa síndrome da ginástica assim que começa o verão!!!
Já entendi o babado. No inverno vc malha pra ficar gostosa no verão, e no verão vc arruma um bofe pra te esquentar no inverno.Como a Natureza fez bem as coisas!
Ai, acho que ainda estou chapada. Eu sempre me pergunto por que uma pessoa chapada ou bêbada entra na internet assim que chega em casa? E como arruma forças para esperar a conexão e tudo mais?
Sei lá.
Barbie, uma noite insone faz milagres pelo blog. Eu queria ter uma vida normal.
Vou pra casa, acho.
Eu me lembro de janeiro uh-uh-uh
Quando o sol me deu você-ê
Meu presente de Ano Novo uh-uh-uh
Que agora o frio levoooou


Tô bôinha hoje. É bom malhar, dar uns socos no 'nada' faz um bem danado! Abstrair dos porblemas sentimentais: se ele gosta de vc, e vc não gosta dele, boas! O que mais vc pode fazer? Vc não precisa fazer força pra amar alguém porque essas coisas simplesmente acontecem. Agora se vc gosta dele e ele gosta de vc, mas não quer vir atrás porque a coisa tá meio que 'impossibilitada' pela geografia, então boas tb. Por que remoer, né? Vai comer salada, menina!

14.10.01

Um cheiro:
PIPOCA
Um sensação:
FRISSON
Uma palavra:
INTENSIDADE
Meninas Texto Forte, vcs duas blogaram horroooooores hoje, né?! Estou me sentindo até defasada em meio a tantos posts novos. Meninas, a semana começa amanhã e eu estou com muita preguiça do que vem pela frente. Não devo ser a única!
Os meus textos andam fracos, acho que tenho levado uma vida "normal". Isso é bom. .
Chega de mensagens sem sentido. Última de hoje. Qq coisa, tô no aissiquiu.
Faz o seguinte. Eu ligo pro Rio, cê liga pra Sampa, pode ser?
Vou merrrrrrmo, e daí? Alô-ôu!
Saudade do concreto... aiiii...hahahaha
Só falta falar que vai pegar aixxxx barcaixxxxxx
É a saudade do abstrato.
Ni no icq falando que viu um disco voador ontem. Só falta falar que de dentro saiu um smurf.
hahaha As duas aqui, cagadas, carentes e inconformadas. Vamos parar porque senão vão achar que nosso blog é só para 'maníaco-depressivos', e não é bem esta a propoixta. (Tô carioca hoje, né?)
Droga.
Legião. Então, tá.

"E nossa história não estará pelo avesso assim, sem final feliz
Teremos coisas bonitas pra contar
E até lá vamos viver
Temos muito ainda por fazer
Não olhe pra trás, apenas começamos."
Vou na meixma onda. (Já devia ter desistido há dias!)
Último "click" na caixa de entrada. Depois, desisto.
estou cansado de bater
e ninguém abrir
vc me deixou sentindo
tanto frio
não sei mais o que dizer

te fiz comida
velei teu sono
fui teu amigo
te levei comigo
e me diz:
pra mim o que é que ficou?

me deixa ver como viver é bom
não é a vida como está
e sim as coisas como são


Legião rules.
O "eco" da mensagem foi lindo. TV Grobo aos domingos sucks.
Não há mensagens nesta pasta.
Coisas que eu também odeio
Idem Susie
Secrets are meant to be kept...

Tô sem saco pra ler outros blogs. Será que alguém está com saco pra ler o nosso agora?
Ei, vc aí, está me ouvindo-indo-indo-indo-indo?
Coisas que eu odeio:
Verificar e-mails de dois em dois minutos.
Flores do mal

Não me atire num mar de solidão
Você tem a faca, o queijo e o meu coração nas mãos
Não me retalhe em escândalos
Nem tampouco cobre o perdão
Deixe que eu cure a ferida dessa louca paixão
Que acabou feito um sonho
Foi o meu inferno, foi o meu descanso

"A mesma mão que acaricia, fere e sai furtiva
Faz do amor uma história triste
O bem que você me fez, nunca foi real
Da semente mais rica nasceram flores do mal"
Ele comia a véia Quaker.
Deus abençoe o velho Kremer, criador da Bohemia. Amanhã, se a susie me ajudar, coloco a historinha da criação aqui no blog. Extraída de uma bolacha de cerveja.
Acho que a viagem miou.
Faço um bolo de fubá?
Leio?
Assisto uma fita de skate esquecida pelo Pokémon?
Assisto Quatro casamentos e um funeral? (é, eu também tenho)
Assisto Titanic? (é, eu tenho)
A Blockbuster fica aberta até meia noite. Vou ou não?
Coisas que eu gostaria de fazer
Mandar um e-mail melado para alguém especial sem me sentir ridícula
É, eu tô carente, porra. Farrapo humano pedindo colo.
Coisas que eu gostaria de ter
Um namorado lindo, rico, certinho e com uma família maravilhosa, só pra poder botar um chifre com um cara feinho, pobre e porra-louca.
Nada "fumável" aqui. Nada "bebível" aqui. E sim, eu assisto o Gente Inocente. Acho o Márcio Garcia um tesão.
E, só pra abrir um momento solidariedade, que queria dizer que eu tb assisto Sandy & Júnior aos domingos. (Será que eu eu vou queimar muito o meu filme se eu disser que tb vejo o Gente Inocente?!)
Amigo é pra essas coisas, Lady! :o) Tamos aí!

-No momento eu queria fumar um baseado e ficar tranquila no meu quarto ouvindo o meu CD novo do Legião Urbana. Mas tem gente em casa. :o/ Enfim... vou ter que me contentar só com o 'tranquila no meu quarto ouvindo meu CD novo do Legião Urbana'.
-Tô com dor nas costas. Tudo bem, é por uma boa causa (a posição "4" é sempre uma boa causa!).
-Não, eu não estou apaixonada.
-Sim, eu lembrei do carioca-jornalista-escritor-wannabe-que-está-no-fundo-do-poço-e-não-quer-ajuda-de-ninguém-muito-menos-a-minha enquanto estava com outro. Mas eu deixei o presente falar mais alto, e resolvi esquecer o passado. Mesmo assim, isto não me impediu de estar me sentindo uma loser neste exato momento.
-Eu não quero só dar. Eu quero amar!
-Brincar de casal-feliz é legal... mas só enquanto está rolando. Depois vc fica vazia e novo.
-Não quero idealizar mais ninguém.
-Será que eu nasci pra ser free, mesmo? Porque eu posso 'ser' assim, mas eu não sei se, conscientemente falando, eu sei viver assim.
-Apesar de tudo, o feriado foi produtivo (???? *r).
-Não escrevo mais nada. De paciência torrada já basta a minha.
-Quase 22. Será que eu ligo?
-P.A.C.I.Ê.N.C.I.A
É verdade. Eu rôo (que estranho) as unhas, eu estou imeeeensa, eu sou neurótica e eu assisto Sandy & Junior aos domingos. "Alguém pra tc?" hohohohohoho
Insegurança é uma merda. Às vezes eu deixo de viver as coisas por "medo" de não agradar. É, Susie, essa conversa que tivemos via icq foi meio reveladora pra mim. Colocar em palavras os meus medos fez muito bem. Thanks, "miga".
Esse feriadão foi meio em clima de "vamos recordar". Na sexta, ficamos bebendo até altas horas e lembrando de coisas que aconteceram há cerca de dez anos. Ri, chorei, senti saudade, quis voltar no tempo, enfim, uma nhaca só. Bêbado é um lixo. Ontem acordei com o rosto grudado no travesseiro (é, eu babei), a cara amassada e o motorista do jornal gritando no portão, de novo. Detalhe, ele saiu com a gente e depois fomos todos pra minha casa. Ele saiu de lá às oito da manhã. Ao meio dia, estava de volta. Eu não aguento mais olhar pras mesmas caras.Passamos o dia faxinando a casa e de noite alugamos um filmeco e ficamos bebendo em casa, mesmo. Mais recordações, mais conversas, mais confissões. Só acordei às duas da tarde, hoje. E com uma música muuuuuito velha na cabeça, que eu vou colocar aqui. Lá vai. (lembram, meninas?)

By my side - Inxs
In the dark of night
Those small hours
Uncertain and anxious
I need to call you
Rooms full of strangers
Some call me friend
But I wish you were so close to me
In the dark of night
Those small hours
I drift away
When I'm with you
In the dark of night
By my side
In the dark of night
By my side
By my side
By my side
I wish you were
I wish you were

Here comes the clown
His face is a wall
No window
No air at all
In the dark of night
Those faces they haunt me
But I wish you were
So close to me

By my side
By my side
I wish you were
I wish you were
By my side

In the dark of night
Those faces they haunt me
I wish you were so close to me
Yes I wish you were
By my side
Odeio me sentir assim. Frágil, dependente, machucada. Parece que eu "falhei" em algum momento. Eu me cobro o tempo todo, quero ser forte, quero aguentar tudo que acontece, mas ao mesmo tempo, eu sei que não sou assim. E me surpreendo (e me aborreço, confesso) quando me olham, espantados com minhas fraquezas. Eu queria ser menos humana, às vezes. Eu queria não chorar ao ouvir uma música especial, eu queria não me emocionar por bobagem, eu queria não sentir falta das pessoas, eu queria não precisar de ninguém. Seria bem mais fácil viver essa ilusão de "inatingível". Afinal, já estou acostumada com a máscara.
Pronto! O presente já virou passado. Normal...

13.10.01

hehe Eu já tive uma historinha dessas com babies tb, Barbie. Mas eu conto numa outra hora porque hoje eu quero falar uma coisa rápida e bem legal. Bom, o que rola é que EU ESTOU ADORANDO VIVER O PRESENTE!
*suspiros* Então, é isso meninas. Depois conto os detalhes!...

Lady, putz que azar, hein, menina?! Se vc tivesse me falado antes, eu conseguiria uma cortesia pra vc. É que tenho um amigo que trabalha com shows e conhece toda a galera das centrais de ingressos. Ele me disse hoje, por telefone, que os ingressos para o show do Eric estão até agora na carteira dele. Que ódio, né?! Bom, nem vou tentar te consolar porque essa está sendo a última turnê dele, ou seja, a gente nunca mais o verá ao vivo num palco. O negócio é chorar mesmo, amiga!
Chora, vai!
Susie, então, deixa eu te contar só essa: Tive uma reunião hoje à tarde na casa da minha patroa. Sabia que ela tinha dois filhos adolescentes ( um de 13 e outro de 16 anos), mas não os conhecia. Mentira, conheci quando eu era mais nova e, na época, eles deviam ter uns quatro ou cinco anos. Eram crianças lindas. E continuam. Conheci primeiro o mais novo, um moleque ainda com ares e expressões de criança. Depois, fui apresentada ao mais velho e tive que conter o meu espanto. O menino é simplesmente MARAVILHOSO. Ele ainda é bem adolescentão, mas já sabe olhar uma mulher nos olhos ( ou evitar olhar, com medo de que seu olhar seja percebido). Aliás, nós trocamos alguns olhares bem forrtes! Nossa, uma graça. E o melhor: ele deve ser virgem.Tem uma cara de "não-vejo-a-hora-da-primeira-transa"...hummmm...Dessa fruta "verde"( não tenho preconceitos com babies) eu comeria até o caroço! Ai se ele não fosse filho da chefa...

12.10.01

Coisas que eu sempre quis saber e nunca tive coragem de perguntar:
Por que a gente tem o costume de achar que os caras da nossa idade são mais novos que nós?
Tô aqui no icq discutindo com a Ni a viagem de fim de ano. Se tudo der certo, vou pra Buenos Aires. Vamos ver. Cruzem os dedos, meninas.
Vontade de comer nêsperas.

No-one on earth could feel like this.
I'm thrown and overblown with bliss.
There must be an angel
Playing with my heart.
I walk into an empty room
And suddenly my heart goes "boom"!
It's an orchestra of angels
And they're playing with my heart.
Eu sou uma farsa, a verdade é essa.
Tô mal de novo. Deve ser sono.

11.10.01

O Texto Forte ctrl+chups de hoje:

"Amar a tua essência, na total transparência da tela de um computador. Olhar além da matéria fria, sentir tua presença, por trás da tela que espia. Sentimentos lançados sem medo, pois não há regras, não há julgo. Almas que flutuam em Devaneio, que se encontram sem receio, no espaço metafísico. Ver a ti além do olhar torto, e alcançar a alma sem transpor o corpo. Ver além. Esse é o amor de hoje."

(C. Devaneios)

*Deu pra ver bem o 'mundo das idéias', que vc comentou um dia comigo, né Barbie?! :o)
Sim, minha gente, o mundo é feito de grandes sacadas!
Susie, obrigada pela correção do meu e-blog-mail! Agora sou pontocompontobeérre!
Lady, não me lembre do show do Clapton, senão vou cair na choradeira. BUÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁ..........Ganhei até uma cortesia e não vou poder ir...Snif!!!!
Mas mudando de assunto (para eu não entrar em depressão), são oito horas da manhã e eu acabei de chegar de uma balada. Fortíssima, evidentemente! Terminei a minha reunião ontem às dez da noite e fui intimada pela minha "chefa" a fazer as vezes de guia turístico com dois franceses que desembarcaram na cidade. Fui na maior boa vontade, achando que seria uma baladinha "light". Nem imaginava o que me esperava...dois franceses malucos, bêbados, tarados,animadíssimos, num bar gay, pirando ao som de "Fio Maravilha" do Jorge Benjor! Por que eu sempre me meto nessas enrascadas,hein?! Tive que ficar com as "valises" até a bebedeira deles passar para que pudessem voltar para a casa onde estão hospedados.
Gente, tô meio passada, mas lembrei de uma coisa que eu tenho que contar p/ vcs: A minha colega de trabalho se chama Joseli. Até aí, tudo bem, nada de anormal. Agora adivinhem o nome do maridão de Joseli:
JOSELITO!!!!!!
Eu não acreditei quando ela me contou, paguei o maior mico achando que ela estivesse de zoação. Mas não, é Joseli e Joselito, mesmo!
COMO DIZ O OUTRO, NÓIS SOFRE, MAS NÓIS GOZA!
Por falar em gozar, o Ken Zombeteiro estava na night hoje. Não que eu tenha gozado muito com ele, mas acho que com algum treino o moço daria continha. Ele tava lá com uma menina "moderna", dessas ruivinhas que usam coturno. Ele me percebeu no bar e logo em seguida veio trocar idéia numa onda"amigos para siempre". Não sei por quê , mas eu sempre dou uma engasgada quando ele vem falar comigo. Por que ele me impressiona tanto? Ele é feio, chato, megalomaníaco e ainda por cima é um popstar frustrado. E a banda dele é uma b. Por que ele me deixa assim, tão visivelmente desconcertada?Droga. E pra piorar a situação da noite, ele ainda teve a "cachorra" de se despedir de mim dizendo baixinho no meu ouvido: "Você é a melhor!" . O fim, né?!
Eu fiquei passada com aquela frasezinha murmurada. Estou até agora quebrando a minha cabeça pra tentar desvendar o enigma do Zombeteiro. O que ele quis dizer com "Vc é a melhor"? Que o meu beijo é melhor? Que a minha cabeça é melhor? Que a nossa química é a melhor? Que o meu sexo oral é o melhor? Ou ele foi maquiavelicamente irônico? Mas pra quê? Será que ele ficou muito irritado ao me ver com dois bonitões na mesa e resolveu me atacar para chamar atenção? Ai, odeio pessoas enigmáticas.Tudo pode ser tão simplesmente dito, por quê as pessoas insistem em complicar tanto a comunicação? Chega de ruídos!
HOMENS RUIDOSOS:
SAIAM DA MINHA SINTONIA!!!!!!

10.10.01

Da Folha Online
As imediações do estádio do Pacaembu, região central de São Paulo, serão monitoradas amanhã pela CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) para a realização do show do americano Eric Clapton, às 20h30.

Eu não vou.
Interlude, Morrissey com Siouxsie. Linda, linda.

Time, is like a dream
Now, for a time, you are mine
Let's hold fast to the dream
That tastes and sparkles like wine
Who knows if it's real
Or just something we're both dreaming of
What seems like an interlude now
Could be the beginning of love
Loving you is a world that's strange
So much more than my heart can hold
Loving you makes the whole world change
Loving you I could not grow old
Nobody knows when love will end,
So till then, sweet friend
Ei, você. Esse post é pra você, sim, não precisa olhar para trás. Tá?
Jornal prontinho, "fotolitado", enfim, no jeito pra gráfica. Hoje acabei cedo. 01 e 40 da manhã ainda é cedo. Amanhã é véspera de feriadão e a noite promete. Promete trabalho pra cacete.
Beijinho pro Marcelo, que mandou e-mail sobre o texto forte da Barbie que fala da suposta poligamia humana. É bom ver que um texto forte pode render discussões e, mais ainda, reflexões.
Essa 'e uma "rapidinha". Hoje foi um dia mais tranqüilo aqui no jornal. Já estamos terminando. Assim que acabar, venho blogar, que tô precisando.
Beijo, meninas (e meninos... afinal, temos leitores)
*ao som de algum hit daqueles disquinhos coloridos que estava tocando numa dessas lojas de 'discos' no meio do calçadão*

- Barbie, vc está ouvindo isso? Está voltando no tempo tb?
- Tô, Suuusie!

(pausa)

*gargalhadas*
Coisas que me deixam feliz (e não despeitada)

Saber que o ex que se casou e me fez sofrer está morando numa cidadezinha do interior do México, trabalhando das 7-22, e dando muito pouco no couro (e ter certeza de que não sou eu quem está sofrendo as conseqüências).

9.10.01

Indo pra casa. Duas da matina. Uma pia cheia de louça me espera. Se sobreviver, escrevo amanhã. Continuo deprê.
Mais um 'fora' da tosca aqui: coloquei o mail da Barbie errado ali na barrinha (lá estava barbie_blog@yahoo.com, qdo na verdade deveria estar - e já está agora - barbie_blog@yahoo.com.br). Por isso, vc, caro leitor, que escreveu pra ela e não obteve resposta, não fique bravo pois a culpa não é dela, e sim minha. Então, não perca tempo e tente outra vez!

8.10.01

Sem blog por enquanto. Essa é uma gravação. Não deixe seu recado.
E vou embora que eu tô estressada. Nada do e-mail esperado. Nada de nada. Humpf.
Tchau.
Porra. Eu escrevi e isso aqui travou. Eu odeio essa %$#@%^^$&&^*.
Três da matina e eu ainda no jornal, pode? Quero chegar na minha casa, tomar um banhão, deitar no ninho e escutar uma música bem deprê. Tô mal.
Sim, eu sou uma devoradora da VIP, e daí? Pelo menos não leio aquelas dicas surreais que a NOVA oferece (só às vezes!). Não vou ficar me justificando, só sei que eu achei uma listinha tudo de bom, que combinou certinho com tudo que eu quero de um homem. Postei algo do tipo dias atrás, e agora estou aproveitando o 'ensejo' (Barbie vai entender as aspas) para postá-la com as devidas modificações. Então, pra vc que quer ser monogâmico (pelo menos aos domingos), aqui vai um apelo de uma mulher que eu julgo, modéstia à parte, no mínimo interessante: eu!

Segue a lista:
1- Corpinho razoavelmente em cima (ou nem tanto).
2- Entre 25 e 35 aninhos (mas podemos negociar...).
3- Bem resolvido profissionalmente (nem que seja vendedor de minhocas).
6- Que curta transar usando os cinco sentidos, talvez os seis.
7- Que não tenha medo da palavra "compromisso" e entenda que relacionamento é parceria: eu ganho, você ganha!
8- Que curta esse meu jeitinho Susie Texto Forte de ser.
9- Que seja louco por cinema e comida japonesa.
10- Que adore Semisonic, REM, Rubem Fonseca e Bossa Nova.

Caso você se encaixe nesse perfil, por favor, escreva para susie_blog@yahoo.com.br. "Agradicida!"

*eu sei que foi uma listinha "control-chups", como diria Barbie, mas é que eu não podia deixar passar!*
Coisas que eu li na revista:
"...pensamento essencial do zen-budismo: o passado já passou. Não importa mais. Para que ficar pensando nele, para que se atormentar com o que já aconteceu? O futuro ainda não existe. Pra que se preocupar com ele, se não temos idéia do que será o amanhã? O que há de concreto é o presente. O aqui e agora."

7.10.01

É, parece que a guerra começou.
Coisas que recebo via e-mail:
MANIFESTO MASCULINO DEFINITIVO.

Mulher:
1. Se você pensa que está gorda, é bem provável que você esteja certa. Não me pergunte. Me negarei a responder.
2. Se você não se veste como as modelos de roupa íntima, não espere que eu me comporte como os galãs das novelas.
3. Se você quer algo, peça. Deixemos isto claro: as indiretas sutis não funcionam. As indiretas diretas não funcionam. As indiretas muito óbvias também não funcionam. Diga as coisas tal como são.
4. Se você faz uma pergunta para a qual não quer resposta, não se zangue ao ouvir o que você não quer.
5. Às vezes não estou pensando em você. Nada está acontecendo. Por favor acostume-se a isto. Não me pergunte no que estou pensando, a menos que você esteja pronta para falar de temas como política, economia, futebol ou carros esportivos.
6. Domingo = Churrasco/Amigos/Esportes na TV. É como a lua cheia ou a maré. Não pode ser evitado.
7. Ir às compras não é divertido, e nunca vou considerar dessa maneira.
8. Quando temos que ir a algum lugar, absolutamente qualquer coisa que você vestir está bom. DE VERDADE.
9. Você tem roupa suficiente. Você tem sapatos demais. O choro é chantagem.
10. A maioria dos homens têm três pares de sapatos. O que faz você pensar que eu sirvo para decidir qual dos 30 pares que você tem vai melhor com aquele vestido?
11. Simples SIM e NÃO, são respostas perfeitamente aceitáveis para qualquer pergunta.
12. Venha a mim com um problema somente se você quiser ajuda para resolvê-lo. Para isto sirvo. Não me peça empatia como se eu fosse uma de tuas amigas.
13. Uma enxaqueca que dura 17 meses é um problema. Melhor ir ao médico.
14. Se algo que eu disse puder ser interpretado de várias formas e uma delas deixa você triste ou zangada, a minha intenção era dizer a outra.
15. TODOS nós homens vemos não mais do que 16 cores. O salmão é um peixe, não uma cor.
16. Onde eu tiver coceira, vou me coçar. Não importa quando, onde nem na frente de quem.
17. A cerveja nos emociona tanto como as bolsas a vocês.
18. Se eu perguntar se está acontecendo algo e a tua resposta for "nada", minha reação será como se nada estivesse acontecendo.
19. Que diabos é a cor fúcsia ? E mais, Como diabos se escreve ?
20. Não me perguntes "Você me ama ?" Tenha certeza de que se não te amasse não estaria com você.

POR FAVOR DISTRIBUAM ESTE MANIFESTO PARA O MAIOR NÚMERO DE MULHERES POSSÍVEL, ASSIM TALVEZ ENTENDAM OS HOMENS DE UMA VEZ POR TODAS. DISTRIBUAM TAMBÉM PARA TODOS OS HOMENS QUE CONHEÇAM PARA, QUE ELES SAIBAM QUE NÃO ESTÃO SOZINHOS NESTA LUTA.

Atendendo a pedidos... somos democráticas
Putz... hahahahaha... "foice" a minha privacidade.
Bom, tudo bem. Susie, tudo que eu queria ontem era ficar sossegadinha, eu e o Johnny. Não foi possível, mas valeu a noitada. Dei algumas risadas, tomei todas e meu ego foi lá no alto. Vai tentar se matar? Não perdôo se não for do jeito certo: afogada numa banheira de vodka.
Alguém aqui disse curva de rio??
Ninguém merece, mas o fato é que o mala de sexta me ligou hoje perguntando se eu ia sair. (Dio Santo, eu tive a infeliz idéia de dar o número do meu querido telefone praquele cara! Eu jurava ter feito uma assinatura ilegível e ter dado outro número! Vai se foder, Susie, vc é uma tosca! Não presta sequer para despistar os babões.)
Vou ali tentar me matar! Não sei se volto...
Coisas que eu recebo via icq:

You have received a message! (from lady macbeth)

Pois é. Pareço curva de rio, também. Só pára tranqueira, meu.
O cara tava com um nextel e pediu licença pra colocar na minha mesa. Colocou e ficava falando "Ô, morena linda, dá uma olhadinha pra cá, tô apaixonado por você". Eu até arrisquei um olhar, mas o cara não merecia nenhum respeito. Quando eu vi, tavam 5 caras sentados na nossa mesa, queimando completamente nosso filme (eu estava com uma paquera em evolução na mesa ao lado, um cara lindinho. E o "vamos respeitar", aquele cabeludo maravilhoso chegou lá e viu aquele monte de homem na minha mesa).
Minha sorte foi que o Bob (irmão do casadinho) chegou, lá pelas 3 da manhã. Eu tinha saído pra tomar um ar e ele chegou com o Fausto, um amigo nosso. Deu um grito, do carro, corri até ele e falei "desce e me ajuda, pelamordedeus". Ele desceu e passou o resto da noite abraçado comigo, pra afastar o mané...rindo

Coisas que eu adoro:
Coca cola
Bom, o que eu tenho pra contar é sobre a noite passada. Passada, passada. É, eu estou passada. Depois de um dia inteiro num parque de diversões (onde passei muito medo), resolvi beber. E quando eu resolvo alguma coisa, sai de baixo. Cara, foram umas 8 doses do grande Johnny. O "Jão", garçom do boteco, resolveu me ajudar a afogar as mágoas e "caprichou" nas doses. O resultado é que acabei cochilando na mesa, lá pelas quatro da matina. Eu sempre faço isso.
Agora estou com dois olhos na minha olheira, um guarda-chuva branco com a cara da Madonna enfiado na boca e todo um zoológico no estômago. Animais rugindo aqui dentro. Alguém tem uma sugestão?

Ah, e estou pensando seriamente em ir pro Rio na semana que vem. Sacomé, feriado, eu sou mulher, a carne é fraca e o Rio de Janeiro continua liiiiindo...
Beijos, meninas.
Barbie, gostei muito do seu post, e essa sensação de que o blog é meio terapêutico é um assunto que eu estava conversando com a Susie outro dia. Isso tem me feito muito bem. Quanto ao "relacional", será que existem mesmo esse dois lados, o monogâmico e o poligâmico? Será que não somos nós que complicamos as coisas e nos preocupamos demais?

Sabe, na verdade nós não sentimos tanta culpa por acharmos que estamos erradas de viver os dois lados. A culpa vem muito mais do julgamento que OS OUTROS fazem das nossas atitudes. Ou seja, o que nos preocupa não é tanto estar ou não certas, mas a imagem que vai ficar disso tudo. Essencialmente, se não estamos fazendo nada que prejudique outras pessoas, somos livres para viver todos os lados. Antes fosse simples assim, né?
Meninas...depois preciso contar um texto-fortíssimo de uma fantasia minha derivada de uma história real e também o texto-forte do beijo de sexta-feira. Já postei demais por hoje, tô com sono! Sou notívaga e o dia já vai raiar :-O
Beijos!
Hoje quero escrever bastante. Meninas, antes dessa fase blog, eu pensava até em fazer terapia pra desbafar e pra organizar certas idéias.Depois que comecei a brincar de blog, quando sinto essa necessidade de falar coisas íntimas, contar histórias, abstrair, enfim, dar uma liberada geral, penso logo em vcs! Tá sendo super legal blogar com vcs duas. Vcs dão mais conta que qualquer terapeuta, e o melhor: nem cobram a sessão...hehehe...


Nossa, Lady, tem um post seu aqui com o qual eu me identifiquei bastante. Aliás, é um dos assuntos sobre os quais eu quero escrever hoje, depois de tanto tempo de ausência (desculpem, meninas, mas eu ando meio sem tempo, ou então usando muito do meu tempo com "outras coisas"...) Então, Lady, trata-se daquele post em que vc conta uma conversa com a sua melhor amiga. No último parágrafo do seu post, vc aborda a ambigüidade da mulher. Vou fazer um "Ctrl Chups" no seu texto pra vc se lembrar do que escreceu. Lá vai:
"Eu achava que estava vivendo o grande amor da minha vida com todo mundo. Um beijo na boca era quase uma promessa de casamento. Hoje eu não consigo mais enxergar um futuro 'relacional' para mim.(...) Quero viver intensamente as coisas que vivia antes. Com um pouco mais de experiência, é claro.
Só que como toda mulher, eu sou absurdamente ambígua. Quero isso, mas quero minha liberdade em primeiro lugar. Esse foi outro assunto que eu conversei hoje... mas deixa isso pra outro texto-forte-desabafo."
Lady,quero te parabenizar pela clareza da sua expressão sentimental. A maneira como vc descreve os seus sentimentos e conflitos proporciona uma fácil visualização da sua "angústia" naquele momento. E, para mim, também proporcionou uma certa identificação.

Concordo com vc em vários pontos, e de certa forma, também estou passando por uma situação e transformação de anseios equivalentes às suas. Mas acho que a ambigüidade está no ser humano, e não na mulher. O homem ( e não me refiro a seres humanos, e sim ao macho...Desviando um pouco do foco do assunto, que mania nosense essa de chamar o ser humano de "homem" Ex:"Os animais são seres irracionais, mas o homem é um ser racional".O machismo da nossa cultura pode ser percebido até na nossa própria língua. )

Enfim, voltando à ambuigüidade do homem ( e empregando a mesma linguagem machista, pois no fundo, no fundo, sou bem brasileira-machista-classe-média), eu acho que essa é uma característica genético-cultural da nossa espécie. Nós todos temos um lado monogâmico e um lado poligâmico.
O lado monogâmico é acentuado pela nossa cultura ocidental.O ocidental tem que casar, ter filhos, constituir família, compartilhar e ser fiel. Esse lado nos é dado como modelo quando nascemos e nos é vendido como um destino já traçado que deve ser seguido. Até um filho(a) de uma família não-tradicional ( filhos de mães solteiras, pais solteiros, pais divorciados, pais homossexuais) acabam sendo atingidos por essa obrigação de se casar buscando "ser feliz para sempre", ou então para se enquadrar na sociedade. Já é sabido por todos que "o conto de fadas" que nos contam na infância nos influencia muito. A mulher estará sempre à espera de um príncipe encantado e o homem deve ser mesmo um príncipe, ou seja, forte e másculo. E como todo príncipe, deve proporcionar um conforto financeiro e sustentar a sua amada. Há também, acredito, uma própria vontade do ser humano de se "amarrar" numa só pessoa. A pessoa com quem dividir momentos importantes e decisivos na sua vida, como a concepção e criação de outro ser humano, um filho. A pessoa com quem viver momentos agradáveis, com quem fazer viagens inesquecíveis, e com quem contar nas horas difíceis. Uma pessoa com quem se quer envelhecer junto.


Já o lado poligâmico é um texto fortíssimo. Ele é estimulado em algumas culturas ( árabes, africanas, indígenas...) nas quais homens ou/e mulheres podem ter vários parceiros sexuais ou mesmo vários amores e casamentos. É um "bas-fond"! Na cultura ocidental ( judaico-cristã...essa é pra vc Susie!), o fato de vc conhecer e se relacionar sexualmente com várias pessoas, sem se sentir obrigada a se compromenter com nenhuma delas, é uma promiscuidade. É até pecado. Ser poligâmico, na nossa cultura, pode significar ser cafajeste ou ser biscate. Claro que existe cafajestagem e biscateio, e isso em qualquer cultura, mas aí já é um problema de perversão sexual ( e, mudando de foco novamente, nem acho a perversão sexual tão grave assim se o respeito por si mesmo e pelo outro for mantido...Eu entendo o tesão de homens por adolescentes, por exemplo, a tal da pedofilia, mas acho absurdo um homem seduzir uma criança. Tem que se estabelecer certos limites entre a fantasia e a realidade para que uma não invada a outra, para que possam coexistir, senão uma fatalmente desaparece. Sou open-minded, mas nem tanto! Há coisas que não podem sair da minha fantasia para não destruir minha realidade.)


Acho que a natureza poligâmica do ser humano nada tem a ver com putaria ou promiscuidade. Alguns estudiosos afirmam que a poligamia do ser humano é um dos nossos traços animais, como o fato de sermos mamíferos, e é, portanto, geneticamente explicável. A poligamia do macho justifica-se pela sua necessidade de plantar suas sementinhas e perpetuar a espécie. Quanto mais fêmeas, no caso, mulheres, receberem a sua sementinha, maior é a sua chance de garantir a perpetuação dos seus genes. Para a fêmea, ao se relacionar sexualmente com vários machos, no caso, homens, ela estará garantindo uma seleção qualitativa para a procriação. Conhecendo mais de um homem-macho, a mulher pode instintivamente saber qual será o garanhão certo para garantir uma prole saudável. Mas isso tudo é um resumo muito fuleiro de todo o pouco que eu li em editorias de comportamento (argh !) sobre o aspecto científico da poligamia. O que eu sinto é que o ser humano é muito volúvel e a poligamia endossa essa característica. Ele pode amar uma pessoa e, de repente, se descobrir apaixonado por outra. Pode deixar de amar uma para poder amar a outra, mas pode tb querer amar, curtir ou viver dois relacionamento com as duas pessoas, ao mesmo tempo. A tal da poligamia expressa, em maior ou menor grau, a nossa natural inconstância e instabilidade. O ser humano é mutável, logo, é instável e inconstante. Muitas vezes a instabilidade e inconstância masculinas são toleradas. É mais "normal", mais comum quando um homem troca de mulheres com frequência. Que fica com fama de galinha, fica, mas isso, dentro da mentalidade machista, é motivo de orgulho viril. Já as mulheres são educadas para não se relacionarem com muitos homens, de preferência casando-se com o primeiro ou único homem ( leia-se sexo) da sua vida. Não lhes é tolerado experimentar vários sexos de homens variados, se relacionar alternadamente com dois ou mais homens, sendo-lhes imposta uma pureza e dignidade que só a mulher tem. Uma superioridade sobre o homem, "o sexo fraco". Trata-se de uma ilusão de superioridade, uma maneira de se conformar com o que é ditado pela sociedade, ou seja, que as mulheres se "preservem".


Num casamento tradicional cristão, o homem e a mulher devem fidelidade um ao outro. Na teoria e na intenção. Na prática, o homem trai e a sociedade o absolve. Afinal de contas, como controlar a natureza masculina? É comum ouvir que homem não consegue ficar com uma só mulher. Na teoria. Pois na prática, mulher também trai. Mas aí, a sociedade condena. A mulher não pode sentir atração e transar senão com o marido. Um caso extra-conjugal mancha a "honra da mulher". Uma mulher que trai é julgada indecente na nossa sociedade. A traição de um homem é compreensível e até perdoável. Fico de cara até hoje com essa mentalidade. Se vale pra um, vale pro outro. Não acho que os sexos são iguais e nem sou feminista ( pelo contrário, tive uma educação das mais machistas-enrustidas), mas esse papo de traição masculina ser tolerável e a feminina não, me deixa bem irada. Seria perfeito se ambos os sexos não sucumbissem à traição, mas já que o lance não funciona bem assim no mundo real, que a "fraqueza" ou a "inconstância" sexual da espécie humana, provavelmente estimuladas pela sua natureza poligâmica, seja pelo menos admitida como uma característica tanto do homem quanto da mulher. Se trair um casamento ou transar com mais de uma pessoa num único mês for vergonhoso para uma mulher, que o seja também para um homem. Se for vergonhoso, porém admissível para um homem, que o seja para uma mulher. Se for gostoso e irresistível para ambos, que o façam, pois é sinal de que a poligamia bateu mais forte. Não incentivo a traição, mas a minha natureza poligâmica é tão suscetível a traição quanto a de um homem.


Para finalizar, meninas, acho que o grande conflito dos homens e das mulheres é ter que reprimir uma de suas naturezas, a monogâmica ou a poligâmica. Não sei se é uma opção ou uma condição para se viver menos angustiado, porque quem tenta conciliar a poligamia e a monogamia acaba se contradizendo o tempo todo, machucando pessoas, se culpando ou se controlando muito. Se namora duas pessoas no mesmo período de tempo, acaba sentido culpa. Se namora uma única, reprime os seus desejos.
É uma doideira.


Escrevi sobre isso por causa do meu embate interior. Ainda não decidi se quero ser mono ou poligâmica. Amar uma só pessoa p/ o resto da vida ou amar várias pessoas. Se optar pela primeira opção, quero amar um monogâmico, para não ser traída e sofrer com isso. Se optar pela segunda opção, quero amar vários poligâmicos, para não correr o risco de que me amem com exclusividade, para não fazer ninguém sofrer com a minha poligamia assumida.
Lá no fundinho ( e na superfície também, mas não contem nada a ninguém...quero manter a minha fama de má!) eu quero mesmo é amar. Retomando e parafraseando a idéia de Lady, quero amar como amava. No inglês, " as I used to love" expressa melhor ainda a frustração...Amar com as mesmas cores, com as mesmas texturas e força de um primeiro amor. Quero sentir aqueles espasmos intensos de paixão ( pra mim, amor entre homem e mulher é impensável sem paixão). Quero fechar os olhos, ver o rosto do meu amor e imediatamente respirar a ilusão do seu cheiro no ar. Ficar arrepiada só de pensar nos seus carinhos. Pesquisar sobre as coisas que ele gosta. Admirá-lo, sobretudo.
Mas, meninas, tudo isso é bobagem...O ser humano é uma imensa bobagem!
Deixa eu parar com isso porque daqui a pouco vcs começarão a cobrar consulta...hehehe!

5.10.01

Uma musguinha meio deprê. A minha predileta do Morrissey, "How soon is now?".

I am the son and the heir
of a shyness that is criminally vulgar
I am the son and heir of nothing in particular
You shut your mouth,
how can you say:
"I go about things the wrong way"?
I am Human and I need to be loved
just like everybody else does
There's a club, if you'd like to go
you could meet somebody who really loves you
So you go, and you stand on your own
and you leave on your own
and you go home, and you cry and you want to die
When you say it's gonna happen now
Well, when exactly do you mean?
See I've already waited too long
and all my hope is gone...
"Fala, meu amor" é muito cinismo.
Cientistas dizem que sexo rápido pode causar dores de cabeça
Neurologistas alemães dizem que pessoas que fazem sexo apressadamente têm mais chance de ter dores de cabeça no orgasmo. A pesquisa desaconselha as "rapidinhas" e diz que a tensão sexual deve aumentar aos poucos.
Segundo os estudiosos, a causa da dor é o rápido aumento da pressão sanguínea durante as sessões-relâmpago. Homens de 25 a 50 anos são os que mais sofrem da "síndrome".

Aplausos. Totalmente a favor de noites inteiras.
Coisas que eu gostaria de fazer agora, exatamente agora:
Dormir
Um texto-forte-desabafo, agora.

Hoje eu fui almoçar com uma amiga-irmã, daquelas que dão esporro quando a gente merece, passam a mão na cabeça quando a gente precisa e nos ouvem, sempre. Comecei a "vomitar" meus problemas em cima dela, e ela só me ouvindo. Entramos no assunto "relacionamentos" e parece que só ela entende o que eu quero da minha vida. Detalhe: eu mesma não entendo.
Eu disse para ela que algumas coisas me incomodam nas minhas escolhas. Eu estava fazendo uma comparação da minha adolescência com a fase que vivo agora (que nem é tão distante assim, mas parece estar do outro lado do abismo). Eu me apaixonava a cada semana. Eu achava que estava vivendo o grande amor da minha vida com todo mundo. Um beijo na boca era quase uma promessa de casamento. Hoje eu não consigo mais enxergar um futuro "relacional" para mim. Parece que tudo virou um grande competição. Eu explico: é como se, no fundo, só o que importasse fosse essa disputinha idiota sobre quem é que "conquista" mais. É verdade, no fundo se resume a isso. Só que eu não gosto disso e posso estar parecendo meio puritana demais (e, acreditem, não é minha intenção), mas quero mais que isso. Quero viver intensamente as coisas que vivia antes. Com um pouco mais de experiência, é claro.
Só que como toda mulher, eu sou absurdamente ambígua. Quero isso, mas quero minha liberdade em primeiro lugar. Esse foi outro assunto que eu conversei hoje... mas deixa isso pra outro texto-forte-desabafo.
Por onde andará a Barbie?
Snif (alguém vai entender)
Bem... vamos começar por aqui. Primeira sexta-feira DO ANO que eu não saio. Acho que estou ficando velha. Noite passada, fui deitar às três (fiquei no jornal) e não consegui dormir antes das seis da matina. E entrei às nove. Ou seja, dormi duas horas. Hoje me persuadi (e confesso que nem foi tão difícil assim) a ficar em casa. Eu e a skol. Só que eu não contava com a animação do pessoal da pizzaria em frente de casa, que resolveu conversar em um volume digno de aeroporto de Congonhas às sete da manhã. Me enchi daquela barulheira (eu juro! fiquei deitada no "ninho" das 9 da noite até agora) e resolvi vir até a casa da mama escrever um pouco. É, eu ainda estou sem telefone em casa.
O dia hoje foi péssimo, pra variar. A única coisa boa foi me desculpar com uma amiga com quem tinha brigado. Descontei todas as minhas frustrações sobre ela e acabei ficando mal, depois. Hoje resolvi o problema, conversamos, e tal.
Mas o que eu ia falar procês, meninas, é se vocês conhecem a hierarquia de um jornal. Não? Então lá vai.
Diretor - Mais conhecido como Idolatrado, salve, salve. Manda em todo mundo.
Editora - Aquela que fez cursinho básico de "como ser mala sem alça e perder as rodinhas em apenas quatro palavras". Conhecida como tiro no saco. Manda nos diagramadores, fotógrafos, estagiários, motoristas e na secretária.
Diagramadora - Eu. Conhecida como "sargento". Mando no meu assistente, nos fotógrafos, estagiários, motoristas e na secretária.
Fotógrafo - Manda mal e porcamente no motorista. E olhe lá. Ah, e na secretária.
Estagiárias - Não mandam em ninguém. Aliás, estagiário não é ninguém (brincadeirinha minha e da editora tiro no saco).
Secretária - Desde que começou a dar pro diretor, manda em todo mundo.

Resumo: nunca menospreze uma secretária.
Compre um cachorro, Susie.
O momento carência já passou!
Agora eu vou tomar banho, fazer uma escova porque amanhã eu quero postar um texto bem do forte aqui. Dá licença?
Coisas que eu quero ter:
Um namorado inteligente, engraçado, educado, que me ame e que seja fiel.

(No geral é isso. Coforme eu for lembrando do que mais eu quero, vou postando aqui.)

***

Tô com sono. Alguém pode ir trabalhar no meu lugar? Obrigada.

4.10.01

Coisas que eu adoro:
E-mails inesperados

Coisas que eu odeio:
E-mails esperados (submarino, lokau, saraiva, uol, etc)
Altamente melancólica. Mandem ajuda, rápido. Posso cortar os pulsos com o estilete enferrujado.
Som ambiente: Silent Lucidity. Meu, como eu amo essa música. Depois que sair daqui, quero beber. Vou pra casa, faço uma lasanha e me afundo naquelas latas todas de cerveja. Tô merecendo.
Coisas que eu odeio:
Forró.
Coisas que eu adoro:
"Gelequinha". Alguém vai entender.

3.10.01

A Oração de uma Mulher (ou...nem tanto!)
Querido Senhor:

Até o momento, eu estou fazendo tudo certinho. Eu não fofoquei, não perdi meu temperamento, não fui avarenta, nem mal humorada, sórdida, indolente ou egoísta.Eu não lamentei, amaldiçoei ou comi qualquer chocolate.
Porém, eu vou me levantar da cama em alguns minutos e eu precisarei muito de sua ajuda depois disso.

Obrigado Senhor!

*Repararam que a 'pessoa' não se deu o trabalho de lembrar que mulheres dizem "ObrigadA!". Tsc...que coisa! (E o que mais vc poderia esperar de uma oraçãozinha machista como esta?)
Coisas que eu gostaria de saber:
Por que é que os homens mais desejados ligam nas horas menos oportunas?
Coisas que eu adoro:
Me desesperar porque não tenho dinheiro pra cobrir os cheques pré e descobrir que a maioria deles já caiu (e não arrebentou a conta) ou receber um dinheiro inesperado
Coisas que eu odeio:
No único dia que eu posso passar aqui na casa da minha mãe não tem ninguém (nenhum ser pensante, digo. Pés de alface, tem aos montes) no icq.
Coisas que eu quero saber:
Por que os homens sempre perguntam justamente aquilo que vc não quer responder?
Coisas que eu odeio:
Médicos estelionatários.
Coisas que eu adoro:
Chocolate, beijo na boca (bem dado), dar risada
Coisas que eu adoro
Vodka
Coisas que eu odeio
Dívidas dos outros
Vai me dando uma certa agonia em pensar que no dia 11 rola o show do Clapton e eu não vou. Cara, já sei até o estado em que vou ficar: chorando, desolada, me sentindo um lixo. Nessas horas eu queria um emprego de gente, com horário pra entrar e sair, uma rotina, mesmo. Não posso nem pensar em planejar alguma coisa: nunca sei a que hora vou sair daqui. Meus dias não têm nenhuma regularidade. Fiz um levantamento das horas que trabalhei na semana passada e fiquei revoltada. Na segunda, trabalhei 18 horas. Na terça, 16. Na quarta, 6 horas. Na quinta, 8 horas. Na sexta, 12 horas. Ou seja, nunca sei se vou jantar em casa ou não. Nunca sei se vai dar tempo de tomar banho antes de sair pra beber ou não. Tô cansada, porra.
E mais cansada ainda de ver sempre as mesmas caras, discutir sempre os mesmos assuntos, ouvir sempre as mesmas músicas. Ah, quero uma mudança. É uma estranha ironia, que eu queira mais rotina no serviço e menos na minha vida. Sempre achei que seria o contrário. Tá certo, eu gosto de ter minha casinha tranqüila, de ficar em casa de pijamas, tomando chá e ouvindo uma musguinha bem calma... de não receber visitas, de meu telefone não tocar. Mas ontem senti uma falta absurda de movimento.
Mal vejo a hora de chegar o próximo final de semana. Sábado vou ao playcenter (é, eu ainda faço isso às vezes) e domingo deve rolar um churrasco em casa. Com as mesmas caras de sempre.