30.9.01

Meninas, lá vai um "Texto Forte" de um domingo solitário:

Gostaria de estar agora numa praia. Estaria feliz numa praia. Ficaria olhando o mar, as pessoas e as pessoas com os seus cachorros. E os cachorros passeando sozinhos. Ou em bandos. E pessoas passeando sozinhas. Ou em bandos. Mas eu estaria sozinha, quietinha, olhando tudo e feliz por estar ali, sentada na toalha, na areia, vendo a vida brilhar.
Gostaria de estar deitada no peito do meu amor. Se eu tivesse um amor. Como se eu tivesse um amor. Estaria quietinha, de olhos fechados e com a orelha colada no seu corpo. Quietinha e quentinha, ouvindo o seu coração bater forte. Por mim. E estaria muito feliz, porque sentiria a vida pulsar bem pertinho de mim, quase dentro de mim. Dentro do meu ouvido.
Gostaria de estar numa discoteca e sentir a música se apoderar do meu corpo. Uma vontade enlouquecedora de dançar com outras pessoas. De pular. De cantar e gritar. Fechar os olhos e deixar a música me arrastar e me levar muito além da percepção espacial. Sentiria a vida transbordar em meio a Smirnoff-Ice, suor e glitter.
Gostaria de estar num parque de diversões. Numa roda gigante, parada lá no topo, de onde se pudesse ver milhões de luzinhas piscando na cidade. Sentiria o vento arrepiar os meus braços e teria vontade de ficar ali no alto eternamente. E sentiria vontade de descer logo em seguida. Chegaria ao solo e ficaria feliz ao ver tantas vidas se divertindo por todos os lados.
Gostaria de ter um orgasmo. Oral. Bem demorado, bem-feito. De uma boca beijando e chupando o meu sexo com anseio, como quem sente fome, mas degusta o que come. Estaria feliz se tivesse uma boca bem gostosa entre as minhas pernas. Bem gostosa. Sentiria todo o meu corpo formigar e latejar. Sentiria vontade que a boca não se mexesse mais. E em seguida, que ela continuasse a me sugar. E em seguida, que ela nunca mais parasse. Até eu morrer. Morrer um pouquinho nessa boca. Sentir a morte e a vida se unirem num único instante, num único corpo. E gozar a vida.



Coisas que eu odeio
Constatar o azar permanente do Burrinho Barrichello. Cara, o menino vai super bem e chega no final, puf, puf, puf. Que cara azarado. Ele inspirou as leis de Murphy, com certeza.
Coisas que eu também adoro
Filhos de amigos. Com uma maçã na boca e uma cenoura no rabo.
Tô com um tédio mortal aqui, então vou castigar todos os web-curiosos que acessarem esse blog.
Pensei até em criar seções especiais... vamos ver no que dá, Susie e Barbie.
Seção Coisas que eu adoro
Pizza amanhecida. Gelada.
Gases, Susie? Anda flatulando muito?
Gente, que domingo péssimo. Ontem, lá pela uma da madrugada, me telefonaram do bar, dizendo que minha "turma" toda estava lá. Fui pra lá meio sem vontade, mas disposta a fingir que estava satisfeita com a companhia. Só que eu tenho um problemaço: toda vez que estou desconfortável em um lugar, começo a beber, beber, beber. E fica tudo "ótimo", tudo lindo. Segui esse padrão, como sempre, e fiquei ligeiramente "gozadinha", como diria um velho amigo meu pra explicar que estava alterado. Eu só esqueci que estava com as malditas botas salto nove (das quais a Susie já ouviu falar muito) e que mal conseguia me equilibrar sóbria, que dirá bêbada. Aí apliquei meu famoso método "como afastar pessoas que você gostaria de conquistar e não conseguiu". Pois é. Tem um carinha lá que nós apelidamos de "vamos respeitar". O motivo? Ah... ele merece todo o nosso respeito. Conheço o cara há uns 2 anos e nunca saímos dos "oi, tudo bem?". Ele tem uma namorada com cara de Sandy, tipo, não combina nada com ele e todo mundo sabe disso (inclusive ele). O cara é porra-louca ao extremo, do tipo "cabelão, barba por fazer e muita vodka", tudo isso muito bem acomodado em um corpo perfeito, um sorriso maravilhoso e uma voz que... ai, aquela voz. Gente, ele é tudo. Bom, eu cheguei e sentei do lado de fora do bar. Passou mais ou menos uma meia hora até eu resolver entrar pra ver quem estava lá (a essa altura, já com muita cerveja e vodka na cabeça). Entrei, cumprimentei o pessoal que conhecia e então o vi: lindo, sorrindo pra mim, ao lado do palco. Fez um tchauzinho muito fofo, fez um sinalzinho para que eu fosse lá para o cumprimentar e eu fui, abanando o rabinho. Dei dois passos na direção do cara e "cataploft". Tropecei no pé da mesa em que o pessoal dele estava, tentei me equilibrar e consegui cair NO COLO do melhor amigo dele, que deu uma risadinha e falou "tudo isso é amor?". Cara, eu não sabia onde me enterrar, como justificar, nada! Em vez de vir com uma tirada super inteligente, bem humorada (coisa que eu costumo fazer quando me sinto intimidada), eu levantei, olhei pra cara do amigo dele e respondi "caí no colo errado, me desculpe". E olhei pra cara do "vamos respeitar", querendo indicar que o colo em que eu deveria estar era o dele. Só então me dei conta de que a Sandy estava bem ali, só observando a cena. Resultado: a menina "armou o barraco" pro lado do "vamos respeitar", que passou o resto da noite tentando explicar o inexplicável, ou seja, que eu era uma louca. Voltei para a minha mesa lá fora com uma calma inabalável, sentei e recomecei a beber. Bebi até amanhecer e voltei pra casa (de carona), onde dormi de botas, porque não consegui tirá-las. Eu mereço cada mico que pago, né?

29.9.01

Esse remédio tá me fazendo um mal danado. Lady, no icq, acabou de me dizer que estou hipocondríaca, só porque estou tomando um remédio leve, tarja preta, que está resolvendo os meus problemas respiratórios. O pior não é estar tomando o maldito, mas sim os gases que ele está provocando. Isso acaba com qquer poder de sedução (ai, ai...ainda bem que eu não saí hoje! E tome luftal!).
Putz. Essa eu tive que vir até a casa da minha mãe pra contar. Não ia aguentar dormir com isso engasgado. Fui no tal show. Espetáculo de homem (quer dizer... bem... nem tão homem assim). O cara dança muito, canta muito e a banda é sensacional. Minha mãe chegou na minha casa meia hora antes do combinado, para irmos ao show. Tudo bem, eu estava no banho, me enrolei na toalha e fui abrir o portão (sem comentários sobre o meu vizinho "coisa boa" que assistiu a essa cena). Ela entrou e foi logo reparando "nossa, esse ralador de queijo está enferrujado. Essa toalha está meio gasta. Essa cafeteira é horrível". O básico da minha mãe. Me aprontei correndo (antes que ela resolvesse sair no quintal e constatar que as cachorras estavam sujas, as roupas sem lavar, etc) e fomos ao show. Nos acomodamos na "platéia superior", vulgarmente conhecida como "galinheiro" e esperamos. Esperamos, esperamos, esperamos. Quando, enfim, a bicha iniciou o espetáculo, uma cena hilária: senhoras por volta dos sessenta anos gritando como adolescentes em um show do N'Sync (é assim?). "Ahhhhhhhh, lindooooooo, tesãããão, delíciaaaaaaa". Gente, tudo bem que o cara tá inteiraço, mas "delícia"? Ele deve pesar uns 40 quilos, mais ou menos. E é praticamente uma dama, vamos respeitar! Bom, se fosse só isso, 'tava bom. Uns dez minutos depois do início do show ('Batuque', com músicas dos anos 30 e 40), dois hipopótamos chegaram (atrasados) e se postaram no meio do corredor, atrapalhando a visão. Esperei, esperei, esperei. Resolvi levantar e pedir que eles se sentassem. Fui, delicadamente, e pedi. O velhote gorducho fez um sinal meio estúpido com a mão. Eu, que normalmente tenho aquela tolerância menos oito, resolvi relevar. Sentei e minha mãe começa "sai daí, corno" "cretino, filho da puta". Eu, translúcida na cadeira, pagando o maior mico. E o pior é que o povo das cadeiras de trás resolveram apoiar minha mãe e tava armado o barraco. Quando o homem resolveu se dignar a sentar, passou do nosso lado e soltou um sonoro "cala a boca". Aí eu resolvi que o mico já estava pago, faltava o gorila. Levantei, enfiei o dedo na cara do distinto e despejei "Seu pobre, mal resolvido, limitado e burro! Não tem o menor direito de estar aqui, porque não saberia entender o que está se passando, aliás, mal sabe ler. Cuspo em você, seu miserável!", assim, nesse tom. Minha mãe levantou também e começou "eu não paguei pra ver o seu bundão, paguei pra ver o show do Ney" e eu "cala a boca, mãe, você não pagou nada, esqueceu?". Enfim, maior vexame.
Depois disso tudo, só me restava me afundar na incômoda cadeira de um ex-cinema que virou casa de shows e ver o Ney se contorcendo feito uma lagartixa prenha no palco.
Como diria Barbie (e antes dela, Elis), é a lama, é a lama.
Meninas, vou postar uma "musguinha",como diria o meu amigo baiano Leandro! Adoro essa música que a Billie Holiday gravou no disco "Lady Sings the Blues".Aliás, adoro a Billie Holiday e todas as músicas que ela gravou. Êta negona poderosa!
Espero que a música inspire vcs a fazer tudo o que vcs quiserem, afinal de contas, it ain't nobody's business if you do!


'T Ain't Nobody'sBizness If I Do
(P. Graninger/E. Robbins)

There ain't nothin' I can do
Or nothing I can say
That folks don't criticize me
But I'm gonna do what I want to anyway
And I don't care just what people say

If I should take a notion to jump into the ocean
'T ain't nobody's bizness if I do

If I go to church on sunday then cabaret all day monday
'T ain't nobody's bizness if I do

If my man ain't got no money and I say take all mine honey
'T ain't nobody's bizness if I do

If I give him my last nickle and it leaves me in a pickle
'T ain't nobody's bizness if I do

I'd rather my man would hit me than for him to jump up and quit me
'T ain't nobody's bizness if I do

I swear I won't call no coppa if I'm beat up by my poppa
'T ain't nobody's bizness if I do

Nobody's bizness, ain't nobody's bizness
Nobody's biznes if I do

Beijinhos!


Hmm...acho que vc andou comendo alguma coisa estranha pra ter sonhado com uma filhinha. Ou pode ser efeito dos mails que vc tem recebido, tb. Vai saber! *rindo muito*
Caraca, que ressaca.
Acordei com a língua grudada no céu da boca, hoje. E com a droga do celular tocando em algum recanto obscuro da casa. Encontrei dentro da bolsa, no exato momento em que parava de tocar. Ligaram de novo e era um dos motoristas do jornal, pedindo que eu viesse ajudá-lo a escrever uma carta de amor para uma menina que ele conheceu. O mané foi ao cemitério, comprou uma dúzia de rosas e queria que eu escrevesse o bilhete. Como eu estava mesmo precisando finalizar umas matérias aqui, falei "em meia hora eu estou aí". Fui pagar o aluguel (com cheque sem fundos) e depois, trabalhar. Minha editora estava numa fase "amiga". Ela é assim, de lua. Conversamos bastante, discuti umas coisas que estavam me desagradando, rimos um pouco do fotógrafo (aquele que eu confundi com o rapaz da luz) que perdeu o prazo de fotografar uma mesquita para a próxima edição e resolveu entrar na mesquita à noite, escondido. Foi pego pulando um portão e tivemos que buscar o cara na delegacia. Sorte que o delegado é amigo do meu chefe.
Ah, ia quase esquecendo de contar do lance do show do Ney. Fui ontem à noite, antes de ir pro Affinit, na casa de shows, buscar os convites. Tinha conversado com o produtor dos shows, meio empresário da casa, e ele tinha me garantido dois ingressos de última hora (retirados da cota do jornal concorrente, porque ele A-M-O-U uma entrevista que nós fizemos com o Ney). Ao chegar lá, o cara era uma bicha esotérica de cabelos vermelhos. Um luxo. Super educado, super delicado, me tratou bem demais, disse que eu devo procurá-lo quando vier para o show, que ele arranja mais uma entrevista com o Ney, e tal. E garantiu ingressos para todos os outros shows que tiverem por lá. Disse mais: que eu ligasse com um pouco mais de antecedência - liguei na véspera do show - e ele arrumaria ingressos na "fila do gargarejo". Que nós (a redação) merecemos bem mais do que um ingresso simples de platéia. Amei, amei. Só queria ter tido essa atenção quando pedi uns ingressinhos do show da Ana Carolina e os caras praticamente me mandaram pentear macacos, mas agora já conheço a bicha.
Putz, outra coisa pra contar. Susie, cê conhece meu horror a crianças, né? Sabe que eu só gosto das japonesas, porque estão do outro lado do mundo e provavelmente dormindo, a essa hora, né? Pois então. Acredita que eu sonhei que tinha um bebê? Era uma menina, lindinha. Não sei qeu espécie de surto psicótico foi esse, mas espero que não se repita. Céus, acordei suando frio.
Beijo procês, amanhã tô na área.
Uma história, uma mulher e um garoto reais (embora tudo isso tenha começado da maneira mais virtual possível!)

Eu desço o pau no icq, no caras que vêm conversar comigo que me encontram pelo whitepages, mas eu sempre tenho aquela 'ultima esperança'. Numa dessas, encontrei um Baby-Falcon, de 19 aninhos, garoto bem-humorado, por sinal, e inteligente. Trocamos fotos, ficamos naquele blá-blá-blá, até que ele resolveu me convidar para ir ao cinema. E lá fui eu me preparar para encontrar o desconhecido! Como sempre, não deu tempo de fazer um make up básico, pois estava ocupada demais com a escova que eu tinha de fazer nos meus cabelos. (Em tempo:pra que me importar com minhas olheiras, né? São tão imperceptíveis! Principalmente agora, depois de uma gripe arrasa-quarteirão.) O telefone tocou, e era ele dizendo que em 5 minutos estaria aqui. Coloquei a roupa, os acessórios, o perfume e ainda troquei de bolsa com a calma de um furação. Desci e logo ele chegou (numa boa: homem pontual é uma droga! Eu acho isso uma sincera falta de sensibilidade com a gente que sempre demora um pouquinho pra se vestir... :o*).
Bom, vou por tópicos porque vai ficar mais fácil:
- Qdo ele saiu do carro eu quase enfartei. Nós tínhamos combinado de ir ao cinema, certo? Logo, coloquei uma calça jeans, uma blusinha bonitinha, sapato-combinando-com-cinto-que-combinava-com-a-bolsa, ou seja, o básico do básico, afinal, até onde pode ser, sou uma pessoa - quase - normal. Mas ele estava usando uma calça social, com pregas, e uma camisa, pronto-para-ir-trabalhar-no-banco. Engoli numa boa! Cada um com seus problemas, né? Entrei no carro...
- Enquanto ele dirigia e comentava suas peripécias adolescentes - os caras de 19 anos têm essa necessidade -, percebi que ele gesticulava muito com a mão direita, que tinha uma anel gigante com um brasão, um símbolo, sei lá. Meus Deus! Então comecei a prestar atenção nos assuntos dele, e passei a escutar várias referências a um desses clubes tipo Rotary, Lions, Maçonaria. Nada contra, meu, mas o cara leva a sério demais a coisa lá; ele já foi presidente e pá-pá-pá. Fiquei assustada. Não que ele tenha feito alguma menção a isso, mas já pensou pelo que a namorada de um cara desses tem que passar?? Fiquei arrepiada só de imaginar. Chegamos no cinema...
- O lugar seria bom se não fosse o casal que estava do nosso lado se comportando como se estivesse vendo um filme em casa.
A menina comia COMPULSIVAMENTE! Ela abriu uma sacolinha das Americanas e mandou bala em chips com mostarda, chocolates, balas, amendoim, o caramba a 4. E o cara explicava cada cena óbvia! Fazia comentários dignos de tolerância zero (os quais me fizeram voltar pra ele várias vezes, colocando a mão no queixo e dizer 'AAAHH, JURA MESMO?!' - baixinho, porque eu nem tava a fim de apanhar). Acabou o filme...
- Bom, ele quis me levar para outro lugar pra darmos uma 'esticadinha', mas eu não aceitei porque tô com uma tosse de cahorro horrorosa. Eu não queria tornar a noite do menino patética tb, já bastava a minha.

E foi isso: voltei pra casa me sentindo uma LOSER! Porque relacionamentos pela internet não dão certo mesmo. Seja à distância, seja perto, de qquer jeito. Nada substitui o olho no olho, nada substitui o prazer de sentir o cheiro da outra pessoa, de falar pertinho...
Enfim, agora é oficial: NUNCA MAIS ME METO EM RELACIONAMENTOS VIRTUAIS. E tenho dito!
(E se tiver erros de português, que se dani, porque eu não vou corrigir!)

28.9.01

Ah, esqueci de contar. Vou ao show do Ney Matogrosso amanhã, é mole? Fazer média com a mamy, mas é brega pacas... mas eu gosto, tenho que admitir... embora preferisse encher a lata no Mauro, no Affinit, ou algo assim.
Fuis!
Meio que assim, não sei bem o que estou falando, fazendo, sei lá. Hoje não é o meu dia. Puro stress por aqui. Mas vai lá, vamos desencanar. Já contei procês do meu problema com baratas? Não? Cara, eu tenho pavor de baratas. Elas me perseguem (segundo um amigo meu, por causa do maravilhoso odor do meu creminho de baunilha da Victoria’s Secrets) por onde eu vou. Quando resolvi virar gente grande e morar sozinha, tive um sério problema com esses seres nojentos. Eu não tinha opção, tinha que matar as escrotinhas. E moro na beira de um córrego, já viu.
Bom, o que eu ia contar na verdade é do dia que dormi com uma barata. Cara, eu estava dormindo. Acordei com uma sensação estranha e quando olhei para o chão, lá estava ela. Me olhando, a vagabunda. Com aquele ar que todo bicho nojento adquire quando sabe que nós não podemos com ele. Ela me olhava e eu suava, embaixo das cobertas. Depois de mais ou menos uns 15 minutos naquela situação desconfortável (sozinha em casa, morrendo de calor e sendo observada por uma barata), resolvi me armar de coragem e assassinar o ser. Levantei, peguei minhas havaianas e pumba! Pumba, pumba, pumba, e nada de acertar a bicha. Batia de um lado, ela corria pro outro. Batia do outro, ela passava entre meus pés e se escondia do outro lado. A essa altura do campeonato, eu já nem lembrava mais do medo: tudo que eu sentia era um ódio imenso, aquela fúria assassina, de querer ver a bicha com as perninhas pra cima, soltando pruridos. Dez a zero pra barata, e eu ainda lá, firme e forte. De repente, parei e pensei na situação: eu, ajoelhada no chão do quarto, com um chinelo na mão. Resolvi acender a luz. Nesse momento, acordei. Era uma barata virtual. (isso é real)
Chega de bobagem. Vamos ver se chegou algum e-mail.
Beijo procês e bom finde.

27.9.01

hahaha Ok. Eu fiquei na PC te esperando. E apaguei o post com 'aquele nome'. *rr

Beijos.
Susie, dá uma olhada no nome que saiu no seu post.
Eu vou desistir. PC tá com sérias avarias. Ah, mandei um mail procê, mas não comente aqui no Texto Forte, não, porque um dos personagens pode se identificar...hehehehe
Beijo, menina, vou pra casa que deve ter um Pokemon faminto por lá.
Tentando entrar lá. Tá ruim de entrar, sei lá pq. Mas tô tentando.
Minina...tô tão maluca que escrevi que o filho que a Esmeralda tá esperando não é dela. Dã. O que eu quis dizer foi que o filho não é de Guma (leia com o sotaque de Esmeralda!).
Vamos pra PC? Faz tempo que não entro lá... *r
Pombas, cê tá on, maluca Susie? Coméquié? O filho da Esmeralda não é dela? Acho que você se "cafundiu". Me dá um retorno, vamos matar esse tédio em algum lugar, algum chat, alguma coisa. Socorro, meu.
Já que tá todo mundo on, todo mundo mó ligado, vou blogar meu estado atual, tb: eu estou vendo a novela das 8 (sim, Guma descobriu que o filho de Esmeralda não é dela; Lívia está grávida de Guma, Epifânia ressuscitou para desmascar 'Malvadma' que está parecendo louca, Felix jurou não matar mais Guma, enfim, aquela babaquice toda de fim-de-novela-wannabe); estou ouvindo as brigas de daddy, mammy e um casal de amigos, que estão lá na copa jogando poker-wannabe, ou seja, tranca; estou doente, ainda (tomei um remédio que tirou minha dor de cabeça e me deixou assim, com um sono-wannabe; e meu icqzinho está paraaaaado, lerdo, sem mensagens-wannabe.
Ai, até eu tô com preguiça de mim de tão wannabe que eu tô hoje.
E para uma pessoa-wannabe, nada mais que um post-wannabe. Que uó!
Vou enlouquecer sem icq. Enquanto não colocarem speedy na minha máquina, me comunico aqui pelo texto foooooorte. Preciso de vocês. Preciso de uma latinha de skol. Preciso de uma pizza.
Risadas? Cara, eu cheguei aqui no jornal chorando de rir. Não conseguia contar pra minha editora o lance sem começar a rir. Virei a palhaça oficial da tarde.
Bombeiros, é? Menina, sabe que isso é uma das coisas que mais... digamos, me perturba. E pilotos de helicóptero? Ai, zizuis... Não sabia que você ia virar colega, não. Me conta: o que você fez de errado? Jogou a velhinha da escada? Bebeu tequila no cálice sagrado? Alguma coisa você aprontou. Eu tomei todo o vinho da Santa Ceia, de canudinho. Caí aqui meio que "no susto" (não sou jornalista, ao menos oficialmente). Entrei como revisora, fui ficando, aprendi a diagramar, fui ficando, comecei a escrever, fui ficando... a equipe trocou inteirinha e eu continuei, a cada dia mais sobrecarregada. Pode esquecer vida social, viu, Barbie? Barbies-jornalistas-recémformadas não têm direito a esse tipo de privilégio. Se quer um conselho, fique na área de assessoria de imprensa, que é bem tranqüila. Mas se resolver enfrentar esse monstro de 8 cabeças (oito, mesmo. a do editor, a do revisor, a do fotógrafo, a do repórter, a do diagramador, a do gerente comercial, a do dono do jornal e a da faxineira), procure uma editoria bem Barbie: cultura, moda, coisas assim. NUNCA aceite trabalhar em editoria de esportes. É infernal, principalmente em época de Olimpíadas do outro lado do mundo.
E se precisar de qualquer força aqui pros lados de Sampa, conte comigo. Tô esperando vocês duas aqui pra uma visita. Ofereço casa e comida. Roupa lavada, nem pensar.
É isso, amiga Barbie.
E você, Susie? Pedreiros, é? (pensando que logo serão os garçons, motoboys, etc) A situação tá preta, hein, fofa?
Beijo nas duas e tédio total.
Lady
Que trapalhada, menina!Pelo menos essa história maluca deve ter te rendido umas boas risadas, né! Bom, pra mim rendeu!
Ah, a Susie te contou que nós seremos colegas de profissão?Termino o curso no ano que vem, mas ainda não sei se vou cair de pára-quedas numa redação (isso se conseguir emprego) antes de fazer uma pós ou especialização. Na verdade, tô com o maior medão de ter que crescer e enfrentar o mercado de trabalho. Podendo adiar, acho que eu continuo estudando!

Susie
Pedreiro nem faz a minha cabeça...Já um bombeiro....hmmmm...Tem toda uma simbologia: fogo ateado, sirene, mangueira, pressão da água, macacão vermelho-paixão...huuuummmmmmm..... dá pra fantasiar, né?!
Ops... escutada nos bastidores dessa redação: "Só se comprometa com um homem que te pague um jantar acima de R$45."
Som ambiente: Charlie Brown Jr. Concessão ao diagramador, que também é gente. Ele não aguentava mais minhas músicas melancólicas, tadinho. Comprei dois fones de ouvido: um para mim, um para ele. Assim não tem briga.
Ah, bilhetinho de hoje sobre o micro: "Faleci no último fechamento. Enterro às catorze horas."
Genteeeeeemmmm... tenho um massagista particular, é mole?
Menininho da diagramação tá "aliviando minhas tensões". Eu disse "tensões", tá?
Essa droga ficou fora do ar um tempão e eu aqui de Bob® (o registro fica por conta de um mafioso amigo meu) desde sete da noite. Ah, preciso falar, preciso falar. Verborragia ao cubo. Acho que é o final de semana se aproximando... vontade de fazer umas maldadezinhas... alguém viu minha agenda telefônica?
Putz, tô aqui com a maior ressaca.A balada de ontem foi um texto muito forte.Bebi muita cerveja, dancei ao som de "pump up the jam" ( tá, eu sou da época do Technotronic, sim , e daí?) e beijei o Bob-Comprometido( tá, admito, eu tb sou da época em que o Ken da Barbie ainda se chamava Bob...). Conversamos durante hoooras no balcão do bar. Resisti a ele até quando pude, ou seja, até o grau da cerveja bater e levar embora toda a minha censura moral. Estou com um baita sobrepeso na consciência hoje. Já ficamos outras vezes, mas agora a coisa tá mais séria. Em vez de nos beijarmos loucamente "y todo más", nós trocamos altas idéias, demos risada, contamos segredos, fizemos confidências e curtimos muito a companhia um do outro. Mas eu odeio essa situação. Nem conheço a namorada dele e ela nem mora na nossa cidade, mas não consigo simplesmente abstrair. Ele trai a namorada mas eu estou traindo os meus "princípios", né?! O que é pior? Pôxa, pode até parecer meio poliano-mocismo da minha parte, mas não costumo fazer aos outros o que não quero que façam comigo. E ele fica bem confuso, bem abalado também. Vem com umas perguntas tipo "vc namoraria comigo se eu terminasse com ela?". Eu nem sei o que responder, digo que sinceramente não sei se quero namorar alguém agora. Tenho meus momentos da carência, mas tô feliz solteira.Mas quero ficar solteira para curtir tranquila o meu celibato, e não cair num lamaçal de culpa!
É a lama, é a lama!
*Susie rindo desbragadamente (não precisava dizer isso, mas vou dizer: aprendi essa palavra com Falcon- carioca- escritor-wannabe) da história de Lady.*
Meninassssss, texto fortíssimo para contar.
Estava eu, hoje pela manhã, dando um trato na casa e esperando pelo fotógrafo recém contratado do jornal (eu ainda não o conhecia pessoalmente) que iria fotografar minhas cachorrinhas (Francês Beam e Maria José) para uma matéria, quando se passou a cena que descrevo abaixo (aproveitando o esquema da minha amiga Barbie, com personagens):
(som ambiente): CLAP, CLAP, CLAP, CLAP (indivíduo maior, branco, de barba, sobre uma moto)
Lady Macbeth: Pois não?
Moço: Eu vim...
LMB (interrompendo): Oi, já chegou? Entra, entra, vem tomar um café.
Moço: Tudo bem...
LMB: Então, eu estava aqui dando uma geral na casa pra te esperar, sabe? Estava tudo bagunçado, eu ando trabalhando 18 horas por dia, você sabe... mal dá tempo de cuidar da casa.
Moço: Eu entendo, também ando trabalhando demais... está uma correria.
LMB: Pois é. ‘Tá gostando do serviço?
Moço: É, eu gosto. É meio cansativo ficar correndo pra lá e pra cá o dia todo, eu ando demais.
LMB: Sei como é. Nossas carreiras são uma loucura.
Moço: Seu café é uma delícia. O bolo também.
LMB (ruborizando): Brigada. Eu gosto de cozinhar.
Moço: Esfriou, né?
LMB: Pois é. Ontem estava super abafado, hoje vou ter que ir pro jornal de agasalho. Mas vamos deixar de conversa fiada. Onde você prefere tirar as fotos?
Moço: Fotos?
LMB: É, as fotos das cachorras.
Moço: Que cachorras?
LMB (transtornada): Quem é você?
Moço: Eu vim medir o consumo de energia. Sou da Eletropaulo.
LMB: Aimeudeusdocéu... e você nem me avisa?
Moço: É que eu estava sendo tão bem tratado... não queria que a festa acabasse.

Mereço, meninas?
Não vou fazer rodeios: EU PAQUEREI UM PEDREIRO. Não pude me conter! Ele estava no primeiro andar de um prédio em construção, não usava camisa, mas vestia uma calça jeans surrada e seu rosto (bem bonito - e viril -, por sinal) etava sendo protegido por um boné tosco, sujo. Parecia uma escultura! O que é aquilo, meu Deus? Não tirei os olhos dele e, depois que ele percebeu, tb não tirou os olhos de mim. ehehe Ai, ai...tô arrepiada até agora...
Pena que o sinal abriu...

26.9.01

Ah, já ia me esquecendo!
Querida, Viviz

Tentamos mandar uma resposta via mail pra vc, mas não conseguimos. Por isso, aqui vai um recadim do coração pra vc: obrigada pela visita e volte sempre. Depois mande o endereço do seu blog pra gente saber o que vc tem a dizer, sim? :o)

Beijos.
Força, meninas, força! Hoje recebi um presente de Falcon e liguei pra ele para agradecer. Ele foi gentil, e eu fui até ele parecendo um bezerro desmamado! Tá, fui patética, sim. Mas eu estava com saudade. Fazer o quê? Sou clichê, sim e não me incomodo de dizer. Choro em filmes água-com-açúcar, fico inconformada com a novela das 7, babo no Antonio Banderas, fico horas com misturas esdrúxulas no cabelo pra ver se melhora e, embora esteja parecendo: NÃO, EU NÃO ESTOU NA TPM!!!
Eu só queria postar alguma coisa aqui porque eu tô doentinha e tô carente. Algum médico, por favor? hahahaha
Affinit decadente, hoje. A única coisa que prestava era o meu pseudoprimo. Tudo bem, eu não tava no clima de "bang-bang", hoje, mesmo.
O lance é voltar cedo pra casa e esperar "aquele" e-mail.
Meninas, preciso de alguma coisa pra me animar. Não aguento mais trabalhar!
Só pra descontrair.
Um dia, três homens estavam indo por uma trilha e inesperadamente deram com um enoooooorme rio, cheio de águas violentas.... Eles precisavam ir para o outro lado mas não sabiam o que fazer para atravessar o rio. O primeiro homem ajoelhou-se e começou a rezar pedindo a Deus:
"Por favor, meu Bom Deus, Dê me a Força para atravessar este rio"
ppppppppppppppppppPPPPPUF!!!!!!!
Deus deu-lhe longos braços e pernas fortes e ele foi capaz de atravessar o rio a nado. Levou mais ou menos duas horas para fazer isso.... quase que afundando umas duas ou três vezes....mas ... conseguiu!
Por ter visto isso, o segundo homem rezou e pediu a Deus que lhe desse não somente forças mas também ferramentas que o ajudassem a atravessar o rio.
ppppppppppppppppppPPPPPUF!!!!!!!............
Deus deu a este homem um bote e ele conseguiu atravessar o rio, apesar do bote ter quase virado várias vezes.
O terceiro homem tinha visto todo o trabalho que os dois primeiros homens tiveram para atravessar o rio então pediu...
"Meu Bom Deus, dai me: ....a força, as ferramentas e.... Inteligência para atravessar este rio"
ppppppppppppppppppPPPPPUF!!!!!!!
Deus transformou-o em uma mulher. Ela olhou no mapa.....caminhou rio acima mais uns quilômetros e atravessou a ponte.
Que nhaca. Escrevi um monte e esse lixo travou. Amanhã eu conto o que ia contar.

Beijo, meninas.

25.9.01

Presa no serviço, ainda. Por favor, mandem ajuda. Uma dose de JW, black.
Amiga Barbie.
Eis uma situação pela qual nunca passei. Mas poderia ser pior, creio. Ela poderia te pedir para aplicar a pomadinha diretamente, sei lá.
O Ken-Desencanado-Wannabe ao menos era "comível"?
Susie e MacAmiga,eu entro em cada furada...Sintam o texto forte que aconteceu comigo hoje:
Tava morgando aqui em casa quando a minha amiga, Barbie-Desencanada-Wannabe, me ligou.

Barbie-Desencanada-Wannabe: Oi, Barbie- Blogger, tudo bem com vc?
Barbie-Blogger:Tudo bem, e com vc, boneca?
BDW: Tudo indo. Tô em semana de prova na facul.
BB: Hummm... maus! E o Ken-Desencanado-Wannabe, como está?
BDW: Então, boneca, nós terminamos há uma semana. Não dava mais, a relação estava esgarçada, não tinha mais conserto.
BB: Putz, que chato! Vc tá bem?
BDW: Na medida do possível, sim. Nós não estamos nos falando mais. Ele preferiu que fosse assim.
BB: Mas pq? Depois de tanto tempo de namoro?
BDW: Ah, ele acha que se a gente parar de se falar, ele vai me esquecer mais depressa. Aliás, preciso de um favorzinho seu!
BB: O quê? Fala...
BDW: Então, é que eu fui ao ginecologista essa semana e fiz uns exames. Peguei o resultado hoje e descobri que estou com um "funguinho". Sabe como? Tipo um "corrimentinho".
BB: Sei...Normal, né?!
BDW:E é provável que o Ken tb tenha desenvolvido a mesma micose. Aí, eu precisaria que vc ligasse para o Ken pra dizer a ele para comprar o remédio que o médico prescreveu pra nós dois. Ele vai encontrar em qualquer farmácia.
BB: Bem, vc acha mesmo que eu sou a pessoa mais indicada pra falar sobre isso com ele? Não seria o caso de vc ligar pessoalmente e explicar a situação? Sei lá, acho "meio" chato, eu não tenho tanta intimidade assim com o Ken e não o vejo há séculos.
BDW: Então, é que ele pediu pra eu não aparecer mais na vida dele. Tô respeitando. Vc faz isso por mim?
BB: Hummm...tá bom (já arrependida!).
BDW: Ai, amiga, obrigada!Olha, anota aí: o remédio é o *Comprimidex*, duas vezes ao dia. Ah, ia me esquecendo, tem uma pomadinha tb.
BB: Pomadinha???
BDW: É! Pra passar no Nicolas.
BB: "Nicolas"?????
BDW: hehehe...Nicolas é como a gente chamava o "bilau"dele!
BB: hahahahaha...Não, péra, aí já é demais! Vc quer até que eu peça pra ele passar a pomada no 'pinto' dele?
BDW: Ai, credo, não é no pinto...É no "Nicolas"...Fale assim que ele vai entender.
BB: Tô bem arrumada com uma amiga dessas...Quero só ver!
BDW: Sabia que podia contar com vc! Ah, diga que é pra ele passar a pomada quatro vezes ao dia. Na verdade, o médico indicou só duas vezes ao dia, mas como ele é desligado, resolvi dar uma aumentadinha para garantir pelo menos as duas.
BB: Agora só falta vc me pedir pra passar pessoalmente a pomada no "Nicolas"!!É o fim da picada!
BDW: Ai, também não exagera, só te pedi um favorzinho...
BB: Favorzinho?Então nunca me peça um favorzão, falou?! Vc corre o sério risco de se decepcionar comigo!
BDW: Valeu, amiga! Ah...
BB: Lá vem...
BDW: Fala pra ele que tem que lavar bem o "Nicolas" toda vez que for aplicar a pomada. Se não for abusar de vc, é claro!

E foi assim que terminou a primeira etapa do texto forte de hoje. Tentei falar com o Ken, mas ele tinha saído. Bateu uma vontade de deixar o recado com a mãe dele ( afinal de contas, nem conheço a véia dele, mesmo!), mas aí pensei melhor e me dei conta que já bastava uma pessoa sem-noção nessa história toda, né, amigas! Me meto em cada uma...
É a lama, é a lama!

24.9.01

Meninassssssss
Dia péssimo por aqui.
Estou há catorze horas presa no serviço, sem comer praticamente nada - nem ninguém -, discutindo com minha editora, discutindo (via celular) com o mini-putinho (será a referência básica do Pokémon, Barbie e Susie) e com vontade de mandar todos à merda. E acabei de ser avisada que amanhã não tenho horário para sair.
Formidável. Eu poderia chegar em casa agora e ter uma surpresa: um bolo de chocolate imeeeeenso, me esperando. Ou quem sabe, o Nicolas Cage de cuecas. Ou sem elas, se eu estiver com muita sorte. Mas não. Só o que vou encontrar é louça suja, roupa suja e solidão. Nada de sexo selvagem, nada de nada.
Felizmente o final de semana está aí. Só faltam cinco dias.
Ah, ia me esquecendo. Viram o e-mail bonitinho que a Vivi mandou pra gente? Elogiando o blog, e tal. Depois a porta-voz oficial responde.
Em tempo: Aviso que eu coloquei em cima do meu micro, no serviço: "Se você pode resolver, não me chame". Prático, não é?
Sour kisses...

23.9.01

Já dizia minha mãe: nunca use uma lingerie que não possa ser vista pelo seu médico.
Domingo é foda, ressaca (física e moral) absurda. Acrescente mais um item à cesta básica das coisas que não têm preço, Susie: ver duas barangas discutindo com os namorados que não tiram o olho da sua mesa. E lembre-se de amarrar uma cordinha no meu pé, que meu ego tá lá no alto. hehehehe
Ingresso para a boate da moda: R$20,00
Kir Royal: R$ 7,00
Ver a Amanda Macarini com 5 dedos de raiz preta e fazendo cara de patética para o seu namorado Rodrigo Teófilo, já em fim de carreira: NÃO TEM PREÇO!
hahahahahahahahahahahaha Esperei a noite inteira pra postar essa porra!!! hahahahahahahahahaha

22.9.01

Muito prazer em conhecê-la, Lady Macbeth. Eu sou a Barbie-Texto Forte! Vai ser legal ter mais uma menina pra brincar comigo e com a Susie ( no bom sentido, é claro!).
Meninas, tenho um texto fortíssimo a lhes contar. Fui consultar um angiologista dia desses. Eu tava com uma insuficiência circulatória, nada de muito grave, mas lá fui eu prevenir p/ não ter que remediar! O angiologista, um velhinho de uns setenta anos, me examinou e disse pra eu marcar uns outros exames, dentre eles, uma echografia. No dia do exame, eu acordei em cima da hora e me troquei rapidinho, displiscentemente. Fui toda mulambenta à clínica fazer o "tar" do exame.
A enfermeira me levou até à sala onde rolaria o babado. O meu médico ainda não estava lá, mas a moça me pediu pra tirar a minha calça, meias e tênis. Fiquei meio-assim, com vergonha, mas tudo bem,obedeci. Afinal de contas, o velhinho já tinha me visto sem roupa durante a consulta, não seria nenhuma novidade nem pra ele, nem pra mim! Fiz o que ela pediu e foi só então que percebi que eu estava usando uma calcinha vermelho-coral de rendinha. Tá, se o mico não bastasse, a calcinha tb era fio-dental. Beleza, fiquei da cor da calcinha, mas o que eu podia fazer? Não podia adiar o exame por causa da minha calcinha fio-dental, né?E outra, o médico já era avô e,em tantos anos de profissão, já devia ter visto milhares de mulheres nuas . A enfermeira, antes de sair da sala, deu aquela olhadinha curiosa p/ a minha calcinha e resolveu, sabiamente, deixar o ambiente na meia-luz. Deve ter tido um pouco de compaixão por mim, mas a expressão de constrangimento que se esboçou no rosto dela ao ver o "tipo" da minha calcinha,contribuiu pra me deixar ainda mais sem-graça. E lá estava eu, na penumbra da sala, de pé num degrauzinho de madeira, vestindo apenas uma baby-look branca e uma calcinha vermelha fio-dental... de rendinha! Nada que o velhinho não tivesse visto antes, pensei cá comigo.
E nem depois! Porque como não me basta pagar só um mico básico, eu tive que pagar logo um gorila! Obviamente, cagada como sou, NÃO foi o médico "mathusalém" que me atendeu, e sim um outro médico especializado em exames. Um trintão gostosíssimo, com todos os cabelos na cabeça e rugas nos devidos lugares...Um baita homem! Cheguei até a esquecer o ridículo ou o surreal da cena quando ele entrou na sala. Imaginem: mulher semi-nua , lingerie "vem que eu te quero", sala na penumbra e homem desconhecido vestido de médico. Me senti a própria Barbie-Garota de Programa num quarto de motel, prestes a brincar de médico.
Amigas, tenho que ir, depois eu termino!
Bemmm... acho que cabe aqui uma apresentação, né? Já conheço a Susie. Não conheço a Barbie. Eu sou Lady Macbeth, ou apenas Macbeth. Tenho meus dias de Lucrécia Bórgia, também. Mas no fundo sou apenas uma garotinha, liberal em idéias, conservadora em atitudes, e tal. Daquelas que se apaixonam por qualquer vira-latas que abana o rabo e depois fica chorando (acendendo velas em encruzilhadas - eu já fiz isso). Céus, relendo isso eu vejo o absurdo. Alguma de vocês já colocou uma bacia com água e papéizinhos com nomes no quintal, no dia de Santo Antonio, pra saber com quem ia se casar? Arghhhhhhhhh
Honrada com o convite. Disposta a revelar tudo... ou quase tudo que penso. Amei o blog. Vamos falar mal de quem, agora?hehehe

20.9.01

Hmmm...que TUDO! Estamos no Yahoo.
E olha só o que escreveram sobre nosso humilde blog: Texto Forte - Contando todos os babados que acontecem.

O que achou, Barbie? :o)

19.9.01

Amigá, desculpa, viu, mas eu tenho que dizer que ele não é bonito, não. Tá, ele tb não é feio. Mas ele não é bonito. *momento solidariedade* (aquele lance de fazer com que a amiga enxergue que além de estúpido, grosso e hipócrita ele ainda É FEIO)
Agora, das outras 'especificações' eu não posso dizer nada, mas já que vc tá dizendo que é, né? Tá, tá, tá...esquece! *RRR
Ele é bonito, ele é gostoso, ele é inteligente, ele transa muitíssimo bem...O sorriso dele é lindo e as mãos dele são firmes. Mas ele é um machista brasileiro classe-média. Deveria ser proibido existir um cara tão esclarecido p/ certas coisas e tão machista e preconceituoso. O que eu posso fazer se tenho vários amigos gays? É muito simples,pra mim as pessoas não se dividem entre heteros e gays, e sim entre legais e chatas.Já nem tô tão encanada com o que ele fez comigo e pelo fato de que a gente nunca mais venha a ficar e ter aquelas noitadas de pedir água. O que me pega ainda é que um cara que eu admirava tanto, que eu idealizava, de repente, se tornou o cara mais banal e mais clichê do mundo. Posso até vê-lo num bar, numa rodinha de amigos "uós", assistindo a um jogo de futebol, chamando a garçonete de gostosa, pagando pau pra modelo da propaganda de cerveja e coçando o saco na frente de todo mundo pra mostrar que tem um. Argh!!!
O cara que eu projetava nele morreu. Aquele cara que lutava por igualdade social, militava no movimento estudantil, no mst e por várias outras causas nobres. O cara não passa de um preconceituoso do caramba.Não, minto. O pior é que ele consegue passar disso sim! Ele chega a ser um baita de um hipócrita, uma mente pequena erguendo a bandeira da evolução.
Amiga Susie, desculpe o desabafo, mas o Ken-Homofóbico me tirou do sério hoje!

17.9.01

Perdi minha lista do icq e estou começando a colocar os antigos nicks em seus devidos lugares. O que acontece é que alguns deles estavam renomeados na antiga lista, e agora estou tendo um trabalhinho pra saber quem é quem (dar nome aos bois é foda, né?). No meio disso, recebi uma série de mensagens, mas uma delas eu simplesmente não consegui descobrir quem era justamente porque o nick do tal tinha virado uma sigla indecifrável e que não tem nada a ver com o nome dele ou qquer outro nick que ele já tenha usado antes. Tão acompanhando? Então segue o "texto forte":

msg1 - susie? ai, ai, ai...vc caiu de novo!
msg2 - Primeiro de tudo: quem é vc????
msg3 - nem se lembra de mim. *R vou te dar duas dicas. Ok, 3, pra ficar mais fácil:
1) gosto de pés;
2) adoro chantilly;
3) eu te amo. :-)

Adivinhe só se eu não descobri quem era! haha Boas lembranças dos beijinhos que ganhei nos meus pezinhos....
DICAS QUENTES PARA ESPANTAR UM BOFE CHATO DO SEU ICQ:
Em alguns dias estamos em casa sem fazer nada e então resolvemos ligar o ICQ ("I seek you" ou "I-CÊ-QUÊ", mesmo) e, como se não bastasse, no meio de uma solidão tão grande, ainda publicamos nosso precioso número (sim, aquele que SÓ damos para os amigos da faculdade, ou do trabalho, ou para aqueles virtuais antigos que conquistamos no frenesi de um momento de curiosidade de nossas vidas tão cheias de histórias) no white pages - uma base de procura por interesses comuns, cidades que o programa oferece. Tão logo estamos cadastrados e começam a aparecer as peças raras, geralmente técnicos de suporte de provedores, ou faculdades (não que eu tenha algo contra eles, muito pelo contrário, preciso, e muito, deles. Todo mundo tem utilidade, afinal!), com aquelas frasesinhas básicas que o advento INTERNET criou: "Vamos tc?" ou, o que é pior, "De onde tc?". Ah, isso é o fim, né? Por isso, resolvi criar este guia que vai ter muita utilidade pra todo mundo. Mãos à obra!

* Vc está quieta no seu canto e de repente aparece a tal mensagem fatal (leia-se "Oi, vamos tc?", ou qquer abóbora do tipo). Sua reação pode variar conforme o seu humor, ou seja: se vc estiver "tolerância zero", mande o babaca para a ignore list DJA!; mas, se vc estiver a fim de 'tentar conhecer a pessoa porque de repente pode ser um cara legal' (por experiência própria: geralmente o cara é um bobo mesmo, mas não custa nada tentar, né? Ah, nós mulheres e nosso instinto maternal... tsc, tsc...), então responda e veja no que vai dar. Mas seja neutra, nada de msgs muito festivas, o cara pode achar que vc está apaixonada!

* Vc continuam o papo com aquela série de perguntas-clichês (clichê fica no plural, ou não? Amiga Barbie, por favor, corrija! A dona das palavras aqui é vc. Eu sou apenas uma recalcada pretensiosa! - Recalcada pretensiosa?! DÃ!) do tipo "onde vc mora?", quantos anos tem?", blá, blá, blá. Lógico que vc está achando um saco, mas vc ainda tem forças para prosseguir (forte pessoa vc!). Então, se ele começa a te perguntar como vc é, não perca tempo: DIGA QUE VC É FEIA, HORROROSA! Se ele for esperto, a sua próxima msg será "Ah...", se não, ele vai SE ACHAR esperto e vai soltar um "HEHE Vc está brincando!" (Por favor, leia esta frase fazendo voz de bobo. É bem mais apropriado!). Bom, neste caso faça uma linha dramática. Justifique dizendo que é por sua feiura que vc passa tanto tempo diante do computador e é por isso que vc nunca manda fotos - tem medo das pessoas se afastarem de vc por isso.

* Se ainda assim ele não se convencer (sim, alguns costumam ser insistentes) e, for adiante dizendo que tem tara por mulheres feias e começar a fazer uma série de galanteios inúteis, mande ver nos smileys' (ou emoticons, aquelas carinhas) e em frases curtas como "É..." (na verdade, nem perca tempo em digitar "...", mande só "É", mesmo), "aham", ou "ah". As msgs dele vão começar a demorar para chegar ou vão parar de uma vez. E então vc venceu mais um chato pelo cansaço.

* Mas, se ele ainda quiser entrar para o Guiness Book, por favor, mande-o para aquele lugar (ignore list - já pensou besteira, né?) e ele NUNCA mais vai te incomodar, nem de longe!

PS.: Caros moçoilos viris e esclarecidos, não se sintam excluídos. Eu escrevi tudo como se só existissem chatOs na internet, mas eu sei que tem muita chatonildA de plantão. Mas é que vcs não costumam ser tão tolerantes, enfim. Mas, se estiverem a fim de tirar um sarrinho, mandem ver nas dicas, sim?

DIÁLOGOS SURREAIS
ou ruídos na comunicação


Diálogo entre Homem Macho Heterossexual e Mulher Fêmea Bissexual:


MULHER: Nunca pari antes.

HOMEM: Acho que você vai curtir.

MULHER: Deve doer muito.

HOMEM: Você vai curtir! Vai ser bom!

MULHER: Você já pariu pra saber?

HOMEM: (bravo) Não, nunca pari e nunca vou parir. Não sou disso! Não sou como os seus amiguinhos.(...) Não é preconceito, mas tenho um machismo-brasileiro-classe-média*!(...) Você, na sua “posição” de...(bissexual???**)

MULHER: Desculpe, não quis parecer grosseira. Foi só pra você tentar se colocar um pouquinho no meu lugar e imaginar a provável dor. Claro que não! Nunca pensaria que você pudesse, um dia, parir. Afinal de contas, você é um Homem Macho, e homens-macho não podem gerar filhos e muito menos parir.

HOMEM: Não tem nada a ver.

MULHER: Realmente...Não tem nada a ver. Mesmo!




Diálogo entre Homem Macho Heterossexual e Mulher Fêmea Bissexual:


MULHER: Nunca dei o cu.

HOMEM: Acho que você vai curtir.

MULHER: Deve doer muito.

HOMEM: Você vai curtir! Vai ser bom!

MULHER: Você já deu o cu pra saber?
HOMEM: (bravo) Não, nunca dei o cu e nunca vou dar. Não sou disso! Não sou como os seus amiguinhos (...) Não é preconceito, mas tenho um machismo-brasileiro-classe-média*!(...) Você, na sua “posição” de...(bissexual???**)

MULHER: Desculpe, não quis parecer grosseira. Foi só pra você tentar se colocar um pouquinho no meu lugar e imaginar a provável dor.(...) Claro que não! Nunca pensaria que você pudesse, um dia, dar o cu. Afinal de contas, você é um Homem Macho, e homens-macho não podem gostar de homens e muito menos dar o cu.

HOMEM: Não tem nada a ver.

MULHER: Realmente...Não tem nada a ver. Mesmo!



* Foi essa expressão que você usou pra se auto-adjetivar?
**Bem-resolvida!E numa “posição” bem interessante, eu te garanto.

16.9.01

Que bonito! Agora temos um contador, amiga! hehe

14.9.01

Nem tô entendendo o que aconteceu comigo hoje. Lá estava eu, numa festa daquelas "inferninhos", cheias ne neo-hippies, neo-punks, bichos-grilos modernos e pessoas com a camiseta do Che. Eram muitas que estavam usando a camiseta do Che hoje. Estava de cara, porque eu não posso beber. Não posso beber, mas posso fumar, então lá fui eu conversar com a Natureza. Quando eu vejo, há uma pessoa, aliás "A" pessoa vindo atrás de mim. "A" pessoa foi o cara que me comeu mais gostoso, que soube fazer tudo, que gostava de tudo que eu gostava (gosto), que entrava no meu ritmo ou impunha o seu ritmo. Resumindo, uma delícia. Obviamente, chapamos juntos e nos agarramos, com gosto. Aquela atracada que te deixa zonza. Nos beijamos muito, nos sentimos muito, nos roçamos mais ainda. Foi a coisa mais sintonizada, encaixada que eu vivi nos últimos tempos. Pra selar o encontro, " A"pessoa resolveu declamar um poema do Herman Hesse no meu ouvido. Foi declamando, olhando pra minha cara de tesão, declamando mais suave e mole no meu ouvido, enfiando a perna dele no meio das minhas pernas. Declamando, entrando por inteiro dentro de mim como vinho tinto, nos tornando sadio a ambos. Gozei na perna dele, que roçava no meu sexo sem parar enquanto ele declamava.
Nossa, o texto tá bem forte, né, amiga?!...Estou escrevendo porque quero me lembrar bem dos detalhes. Que eu gozei com o corpo e com a alma ouvindo poesia.

Canção de Amor

Eu queria ser uma flor
E que tu viesses em silêncio
Me tomasses na mão
Como um objeto teu
Também queria ser vinho tinto
Correndo doce na tua boca
Entrar por inteiro dentro de ti
E nos tornar sadio a ambos

11.9.01

Oi, amiga! Não mude a tinta, ser loira É TUDO! hahaha
Mesmo assim, te dou a dica: depois de publicado, o post fica com um linkzinho escrito "edit" lá embaixo. É só apertar o dito que tudo aparece na sua frente. Depois é só corrigir os erros e em seguida postar e publicar. Ah, que lindo... *r

***

Texto Forte de hoje.
Levei um fora virtual sem dó nem piedade. Tudo bem que o Falcon carioca está no Rio e eu estou bem longe dele. Agora EU não tenho culpa dele ser extremamente ciumento (tudo bem que eu tb sou, mas poxa vida, tem que dar um desconto, né? Não posso escrever no meu blogzinho sobre o Falcon Ninja de SP??? Sacanági! - se fosse sacanági seria bom!..). Eu gosto do meu Falconzinho Carioca (calhorrrrrrrrda! haha), mas calmaê, né? 1000 km é muita coisa pra ele ficar me cobrando coisas que eu não devo.
Deixa o "benzinho" (o benhê!) me ligar de novo! Se ele me perguntar que roupa estou usando vou soltar o seu texto, viu Barbie?! *licencinha* Quem sabe assim ele se liga que pra ganhar a gostosona aqui ele "vai ter que rebolar" (por cima, por baixo, de ladinho...oops, me empolguei!)...
Amiga, reli o meu texxto...Há vários errinhos! Como eu faço para consertar?Não estou achando o comando para arrumar. Não esqueça que as Barbies são loiras!!!
Beijinhos...
Oi amiga Susie!!
Amiga, vc não sabe o "texxto forrrte" que jogaram pra mim hoje...Sabe o Ken-baby da minha sala? Aquele do "vai sem KY, mesmo", lembra? Então, me ligou há uma hora pra conversar sobre "amenidades": "Pq vc sumiu?"... "Como tá o curso?"... "O que vc tem feito de bom?"... "Vc tá namorando?"... "Com que roupa vc está?"..."Vc tá no seu quarto?..."Vc tá deitada?... "Qual é a cor da sua calcinha?"...E assim, com uma voz zuuper-zenzual e respiração ofegante .
E eu dando corda: "Sumi? Não, vc que sumiu"..."Ah, o curso tá indo"..."Tenho estudado, saído com as minhas amigas, malhado um pouquinho"..."Não, terminei definitivamente"..."Pq vc quer saber? (...) Ah, só tô calcinha.Eu ia dormir, né?!"..."É, tô no meu quarto!"..."Deitadinha, e vc?"..."Não importa. Já tirei!"
E NÃO É QUE ELE ACREDITOU??????Aí, ele passou mal:"Vc tá sem calcinha????" EU: É assim que vc me quer?". ELE: "É assim. Mas é assim que vc está mesmo? " EU: Vc quer saber mezzzmo a verdade?". ELE:(zenzualíssimo) "E como quero!" EU: "Então tá, foi vc que pediu .Tô aqui bunnnnnita, de calça de moletão azul-desbotado, camiseta véia com estampa do Fido-Dido, descabelada e empanturrada de tanta jaboticaba que eu comi".
Amiga, o baby ficou irritadíssimo!!! Não era pra menos, né?! Com aquela empolgação toda que ele tava...Mas foi muito bem feito. Pq pensa bem, ligar de manhã pra me desejar um bom-dia ele não liga, né?!Ligar durante o dia pra dizer que tá com saudade, muito menos. Não, ele liga à noite pra tentar um "zegzo" pelo telefone. Sabe o que eu falei pra ele: "olha, filhinho,deixa eu te contar, preste atenção: a Monique Evans tá divulgando um zite com altas gatas gostosíssimas, quentíssimas e super-safadas. O zite é www.eucomvc.com.br.Vc conecta e depois liga para o número que aparecer na sua tela. As meninas fazem o que vc mandar pelo telefone, e vc assiste a tudo pelo seu computador. As primeiras pessoas que ligarem terão um bônus de 50 reais e poderão bater altas punhetas pelo telefone, até o amanhecer"...Falei pra ele adicionar o site aos Favoritos e parar de me ligar!
Sexo pelo telefone é bom, mas vc concorda comigo que tem que sentir muuuuiiiito tesão pela pessoa pra coisa esquentar e vc não se sentir comicamente ridícula? E o cara tem que ter desconfiômetro que não é só ligar pra menina, fazer umas três perguntinhas introdutórias pra puxar o papo e ouvir..."ai, tô gozando!" Se liga, né?! Tenho muita preguiça desses moleques que nem dão conta de uma menina numa cama e ainda acham que vão conseguir excitar alguém para um zegzozinho pelo telefone antes de ir dormir! Tenha sagrada paciência, né, amiga!
Susie, ele mereceu, né?!
Será que eu fui muito malvada? Ah, vc sabe que eu sou meio "tolerância zero"!
Enfim, agora acho que ele tb sabe, hehe...!!
Beijos, amiga, vou tentar dormir...tô numa insônia braba nesses últimos dias! Falando nisso, será que tem um bofezinhos simpáticos nesse eucomvc.com.br? De repente, vale até dar uma chegadinha lá antes de ir pra cama, né? Se pá, eu até descolo um daqueles bônus! :-)
Beijocas!
Fuste...
Ps* É jabô ou jabú- ticaba?

10.9.01

Oi. Deixe-me fazer o que não consigo desde ontem: postar alguma coisa que preste neste blog que é tudo para mim e para minha amiga Barbie.
Bom, como já disse antes, insegurança é uma bosta. Sexta-feira estávamos eu, Barbie e Fofolete (sim, fofolete. Não por ela ser fofa, mas por ela ser pequenininha..hehe) num bar bêbadas, chapadas e alegremente falando sobre a vida qdo aterrisa em nossa mesa um velho amigo de Fofolete. Tudo bem o cara dar em cima de Fofolete se não fosse o fato dele ter uma argola na mão direita e ela ter um namorado Picachu que não mora na mesma terra que a gente. Enfim, isso é problema deles! Mas eu tinha que introduzir o moço na história porque o Falcon que eu conheci naquele dia era amigo do amigo de Fofolete. :o) Ótimo. Já cheguei no ponto: o amigo do amigo de Fofolete, o Falcon. (Aliás, já deixo avisado aqui que nem sempre o nome Falcon vai se referir ao mesmo cara. Digo, isso vai variar conforme a noite, a menos que eu arranje um namorado. :o)) Falcon, então, sentou-se em nossa mesa calmamente e mandou ver no papo, e eu segui em frente com meu ar 'estou-chapada-e-bêbada-mas-por-vc-eu-fico-sóbria' (o cara era muito gato!), isso devia ser 1 ou 2 da manhã. Sim, o papo seguiu cheio de 'tolerância zero', ironias e sarcarmos a ponto d'eu ficar me perguntando "o que esse bendito tá fazendo aqui?????" (e, numa boa, acho que ele se perguntou isso tb - adianto, tb, que não sou fácil, tá?). Mas estava engraçado, Falcon é muito engraçado. Ele fala alguma coisa divertida e fica sério. Eu não sou uma pessoa controlada (nem de longe), então caía na gargalhada e retrucava as brincadeiras. Seguimos assim até, sei lá, 4 da manhã?! (Lógico que eu não ia agarrar o cara e MUITO MENOS pensar que ele quisesse ficar comigo, pô! Ele apenas estava lá com os amigos, estava conversando comigo da maneira mais 'estou-tirando-uma-com-a-sua-cara' e ainda dizia que estava com sono.) Mais ou menos nessa hora (acho que 4 da manhã - sim porque saímos do bar às 6! ) começamos a (eu acho) nos entender. Então trocamos elogios:
(Ele) - Vc é o limão da minha caipirinha!
(Eu) - Vc é o chantily da minha tortinha!
(Ele) - Vc é o gelo da minha dose!
(Eu) - O gelo da sua dose?! Tá. *pausa* Vc, hmmm, é camarão do meu bobó!
hahahahahahahahahahahaha Paramos por aí porque ele não tinha uma resposta a altura!
Então, ele se cansou de lenga-lenga, viu que eu era osso duro de roer (na verdade, eu não estava fazendo tipo. Eu simplesmente estava achando que aquilo não ia sair daquilo mesmo. Que só tava rolando um papo engraçado e que ele estava esperando pelos amigos dele. Mas, meu, por que o cara ia estar lá esperando pelos amigos dele se ele estava com um carro e os amigos dele estavam em outro??? Pode xingar, vai, fui lerdinha, lerdinha. Mas a insegurança não nos deixa ver MUITAS coisas.). Começou a me dizer que alguma coisa a gente tinha de ter em comum. Foi quando ele me pergntou se eu gostava de mulher tb...hahahahahah...mas, perguntou assim, bem calmamente, como se 'vc é lésbica?' fizesse parte de todo contexto da nossa conversa. E eu disse que não (eu disse NÃO, mas isso não quer dizer que um dia eu não vá experimentar, tá?!) - acho que ele ficou aliviado com a resposta (só não pode ler os parênteses...hehe). Isso já devia ser 4 e meia, né? *R Isso não vem ao caso, o que vem é que, no afã do momento, ele soltou um: - Você me quer? Sim, vc leu certo! Ele usou essas palavras. Eu fiquei de boca aberta, né?
E eu: - Vc tá tirando com a minha cara, é?
Ele: - Não.
Eu: - Vc me quer?
Ele: - Eu te fiz uma pergunta. Quando a gente faz uma pergunta, quer uma resposta.
Eu: - Vamos por partes: O que eu vou ganhar? Se eu disser que sim, o que eu ganho? E se eu disser que não?...
Ele: - É muito simples: basta vc dizer sim ou não. Vc me quer? (Meu, eu confesso que fui burra. Porque se o cara não ME quisesse, ele simplesmente NÃO iria me perguntar isso, né? DÃ!)
Eu: *pausa* Eu quero! (hehehe)
Ai, que gostoso, né? beijei o moço até! Não dei porque não tava depilada...E tb porque DAR depois de uma demora daquelas pra beijar, bem, seria meio contraditório ou sei lá o quê!
Hmmm...onde estavam e como ficaram Barbie e Fofolete nessa história? Ah, depois elas contam.

9.9.01

Uhuuuuuuuuuu! Ai, que lindas! TU-DO! Esse blog é tudo! hahaha
hoho Consegui!
Oops...